Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.2/911
Título: The world is in my head : my body is in the world : a condição paratópica em Paul Auster : incidências e projecções do espaço na produção literária em prosa
Autor: Marta, Maria Clara Magalhães
Orientador: Reis, Maria Filipa
Palavras-chave: Literatura americana
Cultura americana
American literature
American culture
Paul Auster
Chronotope
Heterotopia
Paratopia
Identity
Non-place
Place
Space
Placement
Representation
Stereotype
Data de Defesa: 2007
Citação: Marta, Maria Clara Magalhães - The world is in my head [Em linha] : my body is in the world : a condição paratópica em Paul Auster : incidências e projecções do espaço na produção literária em prosa. Lisboa : [s.n.], 2007. 479 p.
Resumo: Este trabalho analisa, de forma detalhada, as representações do espaço na produção literária, em prosa, de Paul Auster, publicada entre 1987 e 2004. Partimos do princípio de que cada obra austeriana analisada funciona como mapa de uma colocação individual e social, porque nela escritor e leitor encontram a possibilidade de aspirar a um entendimento do real. Neste pressuposto, que procuramos dilucidar ao longo da investigação – quer no plano da selecção do enquadramento teórico, quer na posterior envolvência dele com a análise do corpus – considerámos que, com subtilezas de intensidade, cada produção literária observada concretiza o nexo vida-livro, ao ponto de tornar lícita a declaração de que, em Auster, a vida se configura como epifenómeno da literatura. De acordo com esta premissa – que radicámos na condição paratópica inerente ao lugar problemático na estrutura espacial, social e identitária a que o escritor se encontra votado – a hipótese que procurámos verificar com o escrutínio do corpus é a de que cada obra, enquanto condição e produto da paratopia austeriana, se constitui localidade paradoxal e parasitária, consequente de uma carência de lugar de pertença na realidade. Neste contexto, o enquadramento teórico percorre obras que elegeram o espaço como principal objecto de estudo no âmbito da literatura mas a capacidade enunciativa e o poder evocativo da produção literária austeriana também impuseram a necessidade de procurar o contributo de autores que, não tomando como centro de reflexão a questão espacial à luz deste ramo do conhecimento, se debruçaram, num momento ou noutro, sobre problemáticas do espaço ou a ele atinentes. Com base nas propostas enunciadas, o intuito primeiro do estudo foi avaliar até que ponto cada produção literária consubstancia a oscilação de desenraizamentos, níveis entrecruzados de acções e reacções, ajustamentos instáveis e identidades negociadas entre o biografismo e a ficção de Paul Auster.
This work analyses, with detail, the spatial representations of Paul Auster’s literary production in prose, published between 1987 and 2004. As both writer and reader find in each of Auster’s work a possibility of aspiring to an understanding of reality, the departing principle for the scrutiny was that each narrative functions as a map of an individual and social placement. Following this premisse – which the study delucidates through theorethical framing and its subsequent involvement in the analysis of the corpus – we considered that, with subtleties of intensity, each literary work scrutinized renders concrete the life-book nexus to a point that legitimates the statement that, in Auster, life is configured as an epiphenomenon of literature. According to this reasoning – that we radicate in the paratopic condition inherent to the problematical place (in spatial and social estructure, as well as in terms of identity) to which the writer is condemned to – the hypothesis we tried to verify with the examination of the corpus was that each work, as condition and product of the austerian paratopia, becomes a paradoxal and parasitical location, consequent of the lack of a belonging place in reality. In this context, the theoretical approach of this investigation goes through works that elected space in literature as main issue. Nevertheless, the enunciative capacity and the evocative power of Auster’s production also imposed the need to search for contributions of authors who didn’t center their studies in the spatial matter concerning literature, but leant over this category off and on. Based upon these propositions, the investigation evaluates to what extent each literary production analised consubstantiantes the fluctuation of unrootings, intersected levels of actions and reactions, unstable adjustments, and negotiated identities between Paul Auster’s biographic data and fiction.
Descrição: Tese de Doutoramento em Estudos Americanos apresentada à Universidade Aberta
URI: http://hdl.handle.net/10400.2/911
Aparece nas colecções:Estudos Americanos / American Studies

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
LC434.pdf4,56 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.