Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.2/783
Título: A reinvenção do paradigma épico na ficção inicial de John Dos Passos : uma leitura de One Man’s initiation, Three Soldiers e Manhattan Transfer
Autor: Feneja, Fernanda Luísa da Silva
Orientador: Avelar, Mário
Palavras-chave: Literatura americana
Cultura americana
Século XX
American literature
American culture
20th century
John dos Passos
Data de Defesa: 2007
Citação: Feneja, Fernanda Luísa da Silva - A reinvenção do paradigma épico na ficção inicial de John Dos Passos [Em linha] : uma leitura de One Man's Initiation, Three Soldiers e Manhattan Transfer. Lisboa : [s.n.], 2007. 480 p.
Resumo: O corpo de narrativas de John Dos Passos que é objecto deste estudo comporta possibilidades de reflexão em torno de traços que poderão ser considerados matriciais na ficção deste escritor, gizados a partir da sua primeira obra, One Man’s Initiation, e consolidados nos trabalhos posteriores. Constituem eixos centrais a esta investigação dimensões que, por um lado, se prefiguram como comuns aos três textos em análise e, por outro, como globalmente estruturantes. A expressão de características associadas às correntes estético-literárias realista e naturalista, bem como a acentuada inflexão no sentido de uma estética de teor modernista, registada, sobretudo, com Manhattan Transfer, funcionam como enquadramento referencial a outras vertentes, designadamente as isotopias da guerra e da grande cidade, as quais, ainda que de formas distintas, percorrem as três narrativas. No âmbito da semântica global que tais isotopias configuram, são ponderados os limites da dimensão crítica e social que aporta à ficção inicial de Dos Passos, bem como as leituras da América que elas revelam e problematizam. A abordagem da categoria narrativa das personagens representa um elemento crucial nessa reflexão, abrindo espaço à questionação da ancoragem, ou eventual desvio, face ao romance de cariz colectivo, centrado na atomização da personagem individual e numa interpretação disfórica em relação a um cronótopo referencial, neste caso, a sociedade americana dos anos vinte, marcada pelo clima do pós-guerra. Releva desta consideração a importância diegética das personagens, em particular, daquelas que podem ser consideradas heróis. A função primordial dos protagonistas (heróis) permite redireccionar a leitura destas obras, equacionando os ângulos mais comummente focados pelo discurso crítico. Identificamos, assim, uma ambivalência axial que se reifica nos diversos processos de construção narrativa, a partir da qual a representação da América é recriada à luz da tensão entre disforia e glorificação, isto é, entre uma perspectiva anti-épica e uma construção épica, que reenvia, essencialmente, aos ideais fundadores da liberdade e da democracia.
Descrição: Tese de Doutoramento em Literatura na especialidade de Literatura Norte-Americana apresentada à Universidade Aberta
URI: http://hdl.handle.net/10400.2/783
Aparece nas colecções:Literatura Norte-Americana / North American Literature

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
LC344.pdf2,12 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.