Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.2/735
Título: Parentalidade na relação com o recém-nascido prematuro: vivências, necessidades e estratégias de intervenção
Autor: Barradas, Alexandra Maria Carapito Ramos
Orientador: Ramos, Natália
Palavras-chave: Comunicação em saúde
Bebés prematuros
Cuidar
Internamento hospitalar
Nascimento
Relações pais-filhos
Data de Defesa: 2008
Citação: Barradas, Alexandra Maria Carapito Ramos - Parentalidade na relação com o recém-nascido prematuro [Em linha] : vivências, necessidades e estratégias de intervenção. Lisboa : [s.n.], 2008. 274 p.
Resumo: Sendo a prematuridade a causa da maior parte dos internamentos a nível das Unidades Neonatais, torna-se importante conhecer como os pais reagem ao internamento do seu filho, para que se possa promover uma melhor adaptação a todo este processo do nascimento / internamento do recém-nascido. Conscientes da importância da vinculação pais / filho, este estudo surge como necessidade da melhoria desta ligação de modo a irem ao encontro das vivências, necessidades e estratégias dos pais / famílias e ao seu acompanhamento, melhorando deste modo todo o processo de comunicação entre a equipa de saúde e os recém-nascidos / famílias. O nascimento de uma nova vida é uma fase de experiências únicas e gratificantes, mas alguns factores poderão determinar o modo como os pais vivênciam este período das suas vidas. Os primeiros dias após o nascimento prematuro são um período de vulnerabilidade e confusão para os pais. Com este estudo pretendemos analisar e compreender os sentimentos, necessidades e estratégias dos pais de recém-nascidos prematuros no exercício da sua parentalidade quando os filhos estão internados na Unidade de Cuidados Especiais Neonatais do Centro Hospitalar de Setúbal, EPE - Hospital de S. Bernardo. Realizámos um estudo qualitativo, utilizando uma abordagem metodológica descritiva, analítica e transversal. Este estudo também tem alguns elementos quantitativos na caracterização sócio-demográfica. No quadro conceptual deste estudo apresentamos uma contextualização teórica onde abordámos a família, a prematuridade, os pais e o hospital e os grupos de ajuda mútua. Foram organizadas duas amostras não probabilísticas, com critérios de escolha intencional. Foi realizada observação participante da relação pais-filho, realizados vinte questionários e entrevistas semi-estruturadas a vinte pais e mães de recém-nascidos prematuros. Numa segunda fase, sensivelmente um mês após a alta hospitalar também foram realizadas entrevistas semi-estruturadas à totalidade destas mães (treze). A amostra de bebés é formada por catorze recém-nascidos prematuros, onde foi realizada consulta do processo clínico e a quem foram realizados registos / observação fílmica, salientando a interacção pais / filho. Os dados obtidos foram analisados através de análise de conteúdo e da análise da observação fílmica. Dos principais resultados destacamos: −Apesar do internamento, os pais com o nascimento do seu filho manifestam mais intensamente sentimentos positivos como a confiança e a alegria; −Os pais sentem uma grande necessidade de ajuda / apoio ao serem confrontados com esta situação de internamento dos seus recém-nascidos, apoio este tanto a nível familiar como dos profissionais de saúde do serviço; −Os pais sentem necessidade de informação, esclarecimentos sobre os cuidados ao bebé; −Os pais sentem necessidades emocionais / sociais e de suporte afectivo como um grupo de ajuda mútua; −Os pais têm como principal estratégia de redução da ansiedade a sua presença junto do recém-nascido; −Os pais sentem-se preparados para a alta hospitalar no momento em que esta ocorre; −Os pais participam nos cuidados à criança hospitalizada e promovem uma boa vinculação com o seu recém-nascido. Destes resultados surgiram respostas para um melhor conhecimento das vivências, necessidades e estratégias dos pais e despontam dados para a formação do grupo de ajuda mútua de pais de recém-nascidos prematuros que se pretende iniciar após este estudo e melhorar a planificação / acompanhamento da alta do recém-nascido da Unidade de Neonatologia
Premature births are the major cause of neonatal units in-patient stay. Thus, it is relevant to know how parents react to treatment of their new baby born so as to improve the adaptation to the neonatal premature caring process. Bearing the awareness of the emotional link between parents and premature newborns in mind, this study aims to clarify the needs of parents and family as well as coping strategies and support so as to improve the whole communication process between the caring team and the newborns and their families. The birth of a new life represents a set of unique and gratifying experiences. Yet some factors may determine the way parents live this period of their lives. For parents, the first days after the baby is born are a period of confusion and vulnerability. The study develops a scrutiny and analysis of feelings, needs and coping strategies of premature newborns within the exercise of parenthood whilst their children are at the hospital neonatal unit at Hospital de Setúbal. A transversal analytical qualitative research was performed. The study includes quantitative data regarding the socio-demographic descriptive characterization of the population under scrutiny. The theoretical background establishes links between the contextual conceptualisation of Family, premature newborns, parents needs and self-help groups. Non probabilistic samples were set through intentional pre-defined inclusion criteria. Participant observation of parent-newborn relationship was undertaken and complemented with twenty questionnaires and semi-structured interviews. On a second stage, one month later, a new set of semi-structured interviews were undertaken and included all mothers. The sample of newborns included fourteen premature babies. Additionally, clinical files were consulted as data concerning other factors affecting interactions was also considered for discussion. The gathered Data was scrutinised applying content analysis and film observation. Major findings include: −In spite of the hospital in-stay parents demonstrate intense positive feelings, trust and joy. −Parents feel the need for help and support as they face the need of hospital care for their newborn baby. Needs include family as well as professional support from the hospital team. −Parents feel the need to be informed and knowledgeable of their newborn caring needs. −Parents feel the need to participate in a self-help group on their specific emotional and affection needs. −Parents assume as their main coping strategy anxiety reduction and to be near their newborn baby. −Parents feel ready for discharge when it is decided to be so. −Parents participate on their newborn care and this promotes effective bonding between both. Findings from the study contribute to a better knowledge of experiences, needs and coping strategies of parents as well as shed light upon the need to develop self-help groups of premature newborns’ parents, to be enhanced on the basis of this research and consequent recommendations towards a properly planned discharge from the neonatal unit
Descrição: Dissertação de Mestrado em Comunicação em Saúde apresentada à Universidade Aberta
URI: http://hdl.handle.net/10400.2/735
Aparece nas colecções:Mestrado em Comunicação em Saúde / Master's Degree in Health Communication - TMCS

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
TMCS_AlexandraBarradas.pdf9,54 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.