Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.2/6594
Registo completo
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorMoreira, Darlinda-
dc.contributor.authorBotas, Dilaila Olívia dos Santos-
dc.date.accessioned2017-07-12T15:19:35Z-
dc.date.available2017-07-12T15:19:35Z-
dc.date.issued2017-06-30-
dc.date.submitted2017-07-12-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10400.2/6594-
dc.description.abstractA presente investigação aborda a problemática da receção, acolhimento e inclusão de alunos provenientes de outros países nas escolas portuguesas, designadamente, numa escola do 1º ciclo de escolaridade localizada na região da grande Lisboa, onde os alunos de origem não portuguesa correspondem a cerca de dez por cento da população escolar e tem como principal objetivo conhecer em profundidade as práticas escolares utilizadas nos processos de receção, integração e desenvolvimento inclusivo dos alunos recém-chegados à escola, bem como entender quais as principais medidas escolares contempladas no Plano de Atividades (PA), no Plano Educativo (PE) e no regulamento interno para o acolhimento deste tipo de alunos. Metodologicamente, esta pesquisa utiliza uma metodologia qualitativa de abordagem etnográfica, incidindo o processo de recolha de dados na observação participante despercebida, nas conversas informais com professores, alunos, funcionários da escola e encarregados de educação, bem com na análise documentos escolares. Através de um acompanhamento de proximidade em locais diversificados, como o recreio, o refeitório e a sala de aula, a investigação foca-se no processo de integração escolar de nove de idades compreendidas entre os 6 e 10 anos, recém-chegadas a Portugal e de várias nacionalidades, que ingressaram na escola no final do ano letivos de 2011/2012 e durante o ano letivo de 2012/2013. Assim, a observação decorreu ao longo do terceiro período do ano letivo 2012/2013 e continuará no ano letivo 2013/2014. As principais conclusões apontam para práticas similares no que diz respeito ao procedimento de matrícula, tendo todos os alunos ingressado no ano de escolaridade que frequentariam se tivessem permanecido no país de origem. Além disso, todos os encarregados de educação acompanhavam de forma regular o percurso escolar das crianças. No que diz respeito à escola, observaram-se medidas e práticas para garantir a igualdade no acesso, no entanto não revela o desenvolvimento de projetos diferenciados para facilitar a integração dos alunos recém - chegados. Emergindo do estudo que os principais agentes de integração escolar são os próprios alunos com a ajuda dos colegas, nomeadamente daqueles com mais tempos de permanência na escola, bem como os professores e os auxiliares de educação. As rotinas simples da vida escolar são aprendidas informalmente entre pares no contexto exterior à sala de aula. “Histórias que a escola conta: integração de crianças imigrantes no 1º ciclo” resultou numa investigação que reforça e mostra mais uma vez a complexidade das respostas que a escola tem que construir para proporcionar uma educação de qualidade e sucesso para crianças tão diferentes umas das outras que ao nível social, linguístico e cultural, para não falar do individual. Esta complexidade observa-se a diferentes níveis e etapas. Ao nível da escola, através como é que se acolhe e se integra a criança, destacando-se, a relação com os pais, as matrículas e equivalências, os apoios prestados aos alunos e a oferta do PLNM. Também ao nível da sala de aula, podem-se destacar as estratégias dos professores e o relacionamento com os colegas.pt_PT
dc.description.abstractThis research addresses the problem of reception, acceptance and inclusion of students from other countries in Portuguese schools, in particular, in elementary a school located in the Lisbon area, where students of a non-Portuguese origin correspond to about ten percent of the school population. It aims to recognize deeply the school practices used in the reception, integration and inclusive development of newly arrived students, and understand what are the main school measures envisaged in the Activity Plan (PA), in the Educational Plan (PE) and the Normatives for the reception of such students. Methodologically, this research uses a qualitative methodology of ethnographic approach, focusing the data collection process in unnoticed participant observation, in informal conversations with teachers, students, school staff and parents, as well as in analyzing school documents. Through close proximity in diverse places such as the playground, the cafeteria and the classroom, the research focuses on school integration of nine students aged between 6 and 10 years, newcomers to Portugal and of various nationalities, who entered the school at the end of the academic year 2011/2012 and during the school year 2012/2013. Thus, the observation took place during the third period of the 2012/2013 school year, and continued in the academic year of 2013/2014. The main findings point out to similar practices with regard to the registration procedure. All of the students entered in the same grade they would attend if they had remained in the country of origin. In addition, all guardians accompanied regularly the schooling of children. With regard to school, there were measures and practices to ensure equal access, but it does not reveal the development of different projects to facilitate the integration of newcomers students. The study also points out that the main agents for school’s inclusion are the students themselves, with the help of other colleagues, particularly those with more time of residence in Portugal and enrollement in the school as well as teachers and teaching assistants. Simple routines of school life are learned informally with peer outside the context of classroom. "Stories School Counts: Integration of Immigrant Children in the 1st Cycle" has resulted in an investigation that reinforces and shows once again the complexity of the responses that the school has to build to provide a quality and successful education for children so different from each other Social, linguistic and cultural, not to speak of the individual. This complexity is observed at different levels and stages. At school level, through how the child is welcomed and integrated, highlighting the relationship with the parents, the enrollments and equivalences, the support provided to the students and the PLNM offer. Also at the classroom level, we can highlight the strategies of teachers and the relationship with colleagues.pt_PT
dc.language.isoporpt_PT
dc.rightsopenAccesspt_PT
dc.subjectMulticulturalismopt_PT
dc.subjectIntegração escolarpt_PT
dc.subjectEnsino básicopt_PT
dc.subject1º ciclopt_PT
dc.subjectEducação inclusivapt_PT
dc.subjectPlano de atividadespt_PT
dc.subjectAtividade escolarpt_PT
dc.subjectRelações escola-famíliapt_PT
dc.subjectCultural diversitypt_PT
dc.subjectSchool integrationpt_PT
dc.subjectBasic educationpt_PT
dc.subjectSchool practices of reception / hostpt_PT
dc.subjectSchool practice of inclusionpt_PT
dc.subjectNewcomers studentspt_PT
dc.subjectSchool-family relationshippt_PT
dc.titleHistórias que a escola conta : integração de crianças imigrantes no 1º ciclo de escolaridadept_PT
dc.typedoctoralThesispt_PT
thesis.degree.nameTese de Doutoramento em Educação na especialidade de Educação e Interculturalidade apresentada à Universidade Abertapt_PT
dc.identifier.tid101431759pt_PT
Aparece nas colecções:Educação e Interculturalidade / Education and Interculturality

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
TD_DilailaBotas_2017.pdf3,78 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.