Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.2/642
Título: As dinâmicas para a promoção da saúde numa escola do ensino básico do Porto: um estudo de caso
Autor: Mandim, José Fernando Oliveira
Orientador: Aires, Luísa
Grave-Resendes, Lídia
Palavras-chave: Educação
Educação para a saúde
Projetos de educação
Promoção da saúde
Data de Defesa: 2007
Resumo: Da Antiguidade ao século XIX, superada a concepção sobrenatural de saúde e enfermidade, concebia-se saúde como a ausência de enfermidade (doença, deficiência, invalidez), estado que se revelava no equilíbrio do organismo, com referência aos seus meios interno e externo. Gozar de saúde significava não padecer de enfermidade, estar em harmonia consigo mesmo e com o meio. Já ia avançado o século XX quando, em 1947, a Organização Mundial de Saúde (OMS) introduziu uma dimensão mais positiva de saúde na sua definição: saúde é um estado de completo bem-estar físico, mental e social e não somente a ausência de doença ou enfermidade É inegável que tal mudança constituiu um avanço. No plano formal, porque é uma proposição positiva; no plano essencial, porque superou a dicotomia entre saúde e enfermidade, mas também porque possibilitou a emergência de políticas sanitárias mais úteis e eficazes, além de situar a saúde como um estado positivo que podia ser promovido, procurado, cultivado e aperfeiçoado. Nos últimos anos, tem crescido o interesse na manutenção e na melhoria do estado de saúde através de práticas saudáveis, aumentando com isso a popularidade da promoção do bem-estar, da qualidade de vida e do estilo de vida saudável, despertando, assim, o interesse de diferentes instituições em diferentes áreas. Enquanto que a promoção da saúde emerge como um campo respeitado nas políticas e filosofias governamentais, inúmeros desafios se apresentam para a escola, como local privilegiado de partilha e transmissão de saberes, e todos os profissionais da área da educação devem estar preparados para superá-los. Em resultado da globalização política e social, a Escola Portuguesa tem-se tornado cada vez mais multicultural, integrando alunos em situação de contexto migratório, o que representa mais um desafio. Assim, a escola é chamada a ter um papel activo para a inclusão destes alunos na comunidade, fornecendo a educação nas suas diferentes vertentes, inclusive na área da saúde, uma vez que esta é um bem essencial para o bem-estar geral do indivíduo. Este estudo tem por finalidades investigar as dinâmicas de promoção da saúde levadas a cabo pelo Gabinete de Apoio ao Jovem (GAJ) numa escola pública do Porto, de acordo com as directrizes e orientações do Projecto Educativo. A metodologia adoptada incidiu num estudo de caso, portanto de cariz qualitativo, descritivo e naturalista, recorrendo-se à análise de conteúdo para tratamento de dados obtidos por entrevista e por grupo de discussão, a partir da qual foram definidas categorias conceptuais de resposta, e à análise estatística dos resultados colectados pela técnica do questionário. Concluiu-se que o GAJ é o principal dinamizador das dinâmicas de promoção da saúde, nesta escola, sendo reconhecido, quer por alunos e professoras ligadas ao projecto, quer pelos órgãos de gestão o seu importante papel na formação e desenvolvimento pessoal dos jovens. No entanto, existem aspectos que podem ser melhorados, nomeadamente a ligação com as famílias e Associação de Pais
From ancient times up to the 19th century, the concept of health has developed and overcame its supernatural meaning. At first, it meant absence of disease or handicap and consequently the presence of balanced body. Therefore, to be healthy was a synonym for well-being and harmony with the surrounding environment. More recently, a new positive dimension of health has emerged by the WHO (1947): to be healthy is a question of physical, mental and social well-being and not just the absence of illness or infirmity. This new concept is undoubtedly a step forward, since it has allowed the blossoming of more useful and effective sanitary policies as well as the perception of health as a positive status that can be promoted, looked for, cultivated and perfected. The interest in the maintenance and improvement of health has increased the search for healthy practices in which the quality of life of individuals is highly considered and this fact has awakened the attention of different institutions in various areas. Among these, are the schools as privileged places of knowledge and sharing in which the education for health must be implemented and represents a challenge. As a result of the political and social globalization, the Portuguese Education has become multi-cultural with the presence of a wide range of migrant students who must be integrated and taught many subjects, including the need to cherish their health as an essencial good. Thus, this project work aims at investigating the health promoting dynamics implemented by the Youth Care Office (GAJ) in a public school of elementary level from Porto, according to its Educative Project. We have adopted a qualitative, descriptive and naturalist methodology which includes interviews, group discussion, questionnaries and data analysis. This project work led us to the conclusion that the GAJ is the main promoter of health dynamics in this school and has a recognised role in the personal formation and development of the youngsters. Nevertheless, certain aspects could even be better in what concerns the relationship between the families and the Parents Association
Descrição: Dissertação de Mestrado em Relações Interculturais apresentada à Universidade Aberta
URI: http://hdl.handle.net/10400.2/642
Aparece nas colecções:Mestrado em Relações Interculturais / Master's Degree in Intercultural Relations - TMRI

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
LC324.pdf2,15 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.