Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.2/4415
Título: Impacto da educação alimentar em crianças do ensino pré-escolar : o caso dos jardins de infância do agrupamento de escolas de Alcochete
Autor: Ribeiro, Alexandra Sofia da Silva
Orientador: Moura, Ana Pinto
Franchini, Bela
Palavras-chave: Educação alimentar e nutricional
Hábitos alimentares
Nutrição
Crianças
Educação pré-escolar
Jardins de infância
Agrupamento de escolas
Promoção da saúde
Questionários
Estudo de casos
Alcochete
Data de Defesa: 2015
Citação: Ribeiro, Alexandra Sofia da Silva - Impacto da educação alimentar em crianças do ensino pré-escolar [Em linha] : o caso dos jardins de infância do agrupamento de escolas de Alcochete. Lisboa : [s.n.], 2015. 157 p.
Resumo: As crianças são vulneráveis à envolvente que as rodeia, sendo facilmente seduzidas por alimentos de elevada densidade energética. Os primeiros seis anos de vida correspondem a um período de rápido desenvolvimento em relação ao conhecimento e experiências alimentares, existindo evidências que confirmam a necessidade de iniciar a aplicação de programas de intervenção em educação alimentar eficazes em idade pré-escolar. Importa, no entanto, avaliar o impacto dessas intervenções, de modo a adotar ações que permitam a melhoria dos conhecimentos e dos hábitos alimentares das crianças. O presente estudo pretendeu avaliar o impacto de um programa de educação alimentar, com a duração de 5 meses, em crianças a frequentar o ensino pré-escolar, relativamente ao conhecimento sobre conceitos de alimentação e nutrição, bem como averiguar a influência desse conhecimento nos seus hábitos alimentares. Para o efeito foram elaborados dois questionários. Um dos questionários pretendeu avaliar os conhecimentos relativos a conceitos básicos de alimentação e nutrição, tendo sido aplicado às crianças pela investigadora. O outro, um questionário alimentar, visou caracterizar o consumo alimentar das crianças, utilizando o método das 24 horas anteriores, e verificar a influência do conhecimento no consumo alimentar. Este foi preenchido pelos encarregados de educação/cuidadores. Ambos os questionários foram aplicados em dois momentos. Entre cada um dos momentos de aplicação dos questionários, realizaram-se sessões de educação alimentar com recurso a materiais do módulo pré-escolar do “Programa Educativo Apetece-me”. Neste estudo participaram 117 crianças, nascidas em 2007, educandas dos jardins de infância do Agrupamento de Escolas de Alcochete e da Fundação João Gonçalves Júnior, no ano letivo 2012/2013, III consequentes de um processo de amostragem por conveniência. As sessões de educação alimentar foram dirigidas a 61 crianças da amostra em estudo – “Grupo com intervenção”, enquanto 56 crianças fizeram parte do “Grupo sem intervenção”. Foi ainda efetuada a avaliação estato-ponderal das crianças aquando do primeiro momento de aplicação do questionário que pretendeu avaliar os conhecimentos. Da totalidade da amostra (n=117) 74% das crianças apresentou peso normal, 14% sobrecarga ponderal, 10% obesidade e 2 % baixo peso. Ao nível dos conhecimentos, verificou-se que enquanto o grupo sem intervenção apresentou um ligeiro mas significativo aumento ao nível do conhecimento (variação = 0,5 pontos), este aumento foi significativamente superior no caso do grupo intervencionado (variação = 2,4 pontos). No que se refere aos hábitos alimentares, não foram observadas diferenças significativas entre os alimentos consumidos por cada um dos dois grupos (sem e com intervenção), nem ao nível do consumo de alimentos efetuado por cada um dos grupos, entre o primeiro e o segundo momentos. A melhoria verificada ao nível dos conhecimentos das crianças expostas às sessões de educação alimentar demonstra a efetividade do programa implementado. Para atingir alterações ao nível da ingestão alimentar propõem-se futuras intervenções, de maior duração, a vários níveis, incluindo serviço de alimentação escolar, abordagem curricular e encarregados de educação/cuidadores.
Children are vulnerable to the environment around them, being easily seduced by high energy density foods. The first six years of life are a period of fast development regarding knowledge and food experiences. There is evidence that support the need to start implementing effective intervention programs in nutrition education for pre-school age. Therefore it is necessary to evaluate the impact of such interventions, in order to adopt actions that allow the improvement of children’s knowledge and eating habits. The present study aimed to evaluate the impact of a nutrition education program, with the extend of 5 months, about the knowledge of children that are enrolled in preschool, regarding food and nutrition concepts; as well as to determine the influence of this knowledge in their eating behaviors. For this purpose two questionnaires were developed. One intended to assess the knowledge related to the basic concepts of food and nutrition and applied to children by the researcher. The other, a food questionnaire, aimed to characterize the food consumption of children, using the 24 hour recall method, and also the influence of knowledge in food consumption. This one was filled by parents/caregivers. Both questionnaires were applied at two moments. Between each application time, were performed nutrition education sessions using materials from the preschool module of “Programa Educativo Apetece-me”. 117 children, born in 2007, participated in this study, which was applied in the school year of 2012/2013. They were students from kindergartens of “Agrupamento de Escolas de Alcochete” and “Fundação João Gonçalves Júnior”, consequential from a sampling process for convenience. The sessions of nutrition education were addressed to 61 children in the study sample “Intervention group”, while 56 children were part of the “Group without V intervention”. Body weight and height of the children were also assessed at the first moment of the knowledge questionnaire’s application. From the total sample (n=117) 74% of the children had normal weight, 14% were overweight, 10% were obese and 2 % were underweight. At the level of knowledge, it was found that the “Group without intervention” showed a slight but significant increase of knowledge (variation = 0,5 points), this increase was significantly higher in the case of the “Intervention group”, (variation = 2,4 points). With regard to the food questionnaire, no significant differences were observed when comparing the consumptions of the two groups (with and without intervention), or in relation to the food consumption made for each group, between the first and the second time. The improvement in the level of knowledge of children exposed to the nutrition education sessions shows the effectiveness of the implemented program. To achieve changes regarding the food intake, longer term interventions are proposed, at various levels, including school food service, curriculum approach and parents/caregivers.
Descrição: Dissertação de Mestrado em Ciências do Consumo Alimentar apresentada à Universidade Aberta
URI: http://hdl.handle.net/10400.2/4415
Aparece nas colecções:Mestrado em Ciências do Consumo Alimentar / Master's Degree in Food Consumption Sciences - TMCCA

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
TMCCA_AlexandraRibeiro.pdf2,92 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.