Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.2/3676
Título: A anta 6 do Couto da Espanhola (Rosmaninhal, Idanha-a-Nova)
Autor: Cardoso, João Luís
Caninas, João Carlos
Henriques, Francisco
Palavras-chave: Arqueologia
História de Portugal
Antas
Escavações arqueológicas
Idanha-a-Nova
Data: 1995
Citação: Cardoso, João Luís; Caninas, João Carlos; Henriques, Francisco - A anta 6 do Couto da Espanhola (Rosmaninhal, Idanha-a-Nova). "Estudos Pré-Históricos" [Em linha]. ISBN 972-95952-2-5. Vol. 3 (1995). p. 19-37
Resumo: A sepultura megalitica em causa integra-se em uma rica região onde. nos últimos anos se identificaram cerca de sessenta monumentos megalilicos, tanto de carácter mágico-ritual (menires e cromeleques), como funerários, além de sitios de arte rupestre. Os espaços habitados, conquanto menos evidentes, encontram-se também assinalados, em diversos locais, pela presença de grandes elementos dormentes de mós manuais de grauvaque. O monumento 6 do Couto da Espanhola, situado escassas centenas de metros de diversos daqueles tipos de ocorrências, encontrava-se assinalado por uma mamoa de enrocamento praticamente intacta (caim), sublinhada pela concentração de blocos de quartzo leitoso que conferiam ao monticulo artificia l, com cerca de 10m de diâmetro e pouco mais de 1 m de altura, um aspecto singular, contrastando cromaticamente com os afloramentos xisto-grauváquicos da zona adjacente. Aliás, a concentração anormal de blocos quartzosos, constitui, na região, excelente indicativo da presença de mamoas de monumentos megaHticos. A escavação, realizada em Setembro de 1995, evidenciou um monumento constituído por pequenos esteios de grauvaque e de xisto, de origem local, definindo uma cãmara de pequenas dimensões, de planta ovalada e fechada. Este espaço viria a ser dividido por um septo longitudinal e, enquanto que uma das áreas assim isolada (a menor) , era ulteriormente enluIhada por rochas,e definitivamente abandonada, a outra, cuja configuração sub-rectangular foi reforçada, correspondendo a uma cista, permaneceu em uso. As suas pequenas dimensões permitem supor que se trataria, desde o inicio, de uma sepultura individual; no máximo, poderia receber dois a três corpos estendidos. O espólio exumado no espaço inutilizado após a remodelação integra um crescente, um trapézio de base recta, uma lamela, uma lâmina com retoques marginais e um machado de anfiboloxisto de talão picotado. O espólio correspondente ao espaço cisl6ide que continuou em uso corresponde a uma pequena enxó, polida apenas no gume, um machado e fragmentos de, pelo menos cinco recipientes lisos, quatro taças em calote ou hemisféricas, de diversos tamanhos e um vaso de colo médio, de perfil suave. Verifica-se, pois, uma nitida distribuição diferenciada quanto às características e tipologia dos dois conjuntos, configurando dois momentos culturais diferentes. Com base nas características arquitectónicas e no espólio descrito, procedeu-se à integração cronológico-cultural do monumento e sua ulterior reutilização, no contexto do megalitismo do centro e sul de Portugal. Trata-se de monumento dolménico primitivo, no âmbito daquele contexto.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.2/3676
ISBN: 972-95952-2-5
Aparece nas colecções:História, Arqueologia e Património - Artigos em revistas internacionais / Papers in international journals

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
1995, Anta 6 do Couto da Espanhola, Rosmaninhal, Idanha-a-Nova.pdf5,31 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.