Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.2/3668
Título: O discurso sobre o feminino na ficção romanesca antuniana : a emergência de um género
Autor: Joaquim, Carolina da Costa
Orientador: Seara, Isabel
Palavras-chave: Antunes, António Lobo, 1942-
Literatura portuguesa
Século XX
Romance
Género
Mulheres
Sexo feminino
Female
Romance genre
Contemporary portuguese fiction
Language
António Lobo Antunes
Data de Defesa: 2014
Citação: Joaquim, Carolina da Costa - O discurso sobre o feminino na ficção romanesca antuniana [Em linha] : a emergência de um género. Lisboa : [s.n.], 2014. 155 p.
Resumo: A ficção portuguesa contemporânea abriu-se a novas preocupações, a novas perspetivas, a novas realizações e a novas vozes e, por isso também, a novas formas de escrita – nesta abertura inovadora, que revolucionou significativamente o panorama literário e cultural contemporâneo português, o feminino tem desempenhado um papel relevante. A consciencialização de uma ancestral e singular condição no seio da sociedade e da humanidade, por um lado; por outro, a tentativa de formulação de um novo e diferente conceito de identidade subjetiva radica na necessidade e na urgência de se transpor para o texto literário a denúncia silenciosa de séculos de tradição de uma condição de inferioridade que se compraz nas múltiplas vozes femininas antunianas – o que nos levou a dilucidar e a salientar o quanto o feminino terá sido o veículo transformador e caracterizador da realidade (social e textual) portuguesa. De facto, desde sempre se havia escrito sobre a mulher, mas eis que, em António Lobo Antunes, o feminino se assume como característica comum e indispensável da sua produção literária, emergindo de um lugar sombrio e silencioso para se movimentar num plano menos obscuro e com maior destaque, sendo, ele próprio, a voz do texto, subvertendo assim, numa sociedade tão dominantemente falocrática quanto hostilizada pela dominação masculina, as mentalidades e os modelos vigentes por uma sociedade que se quer mais igualitária, mais justa e feliz. É pela crescente evolução e importância que o feminino assume na ficção contemporânea e na literatura em geral, figurando-se, nesta dissertação, o feminino num lugar privilegiado, denunciado pela ambiguidade das vozes no feminino que se procede à leitura e análise nas obras de António Lobo Antunes, nomeadamente em Os Cus de Judas, A Ordem Natural das Coisas e O Esplendor de Portugal. Privilegiando nesta fase do nosso percurso de investigação e de escrita uma vertente essencialmente sociodiscursiva, este trabalho pretende dar conta, através de duas visões distintas do feminino, mas que (necessariamente) se intersetam –a saber, o feminino na autoria masculina e o feminino na voz “polifónica” de personagens femininas –, do papel e da imagem da mulher ao longo dos tempos espelhados pela literatura portuguesa contemporânea, salientando igualmente a importância destes dois pontos de vista, bem como a sua repercussão na estrutura e na textura do(género de) texto literário.
Descrição: Dissertação de Mestrado em Estudos de Língua Portuguesa : Investigação e Ensino apresentada à Universidade Aberta
URI: http://hdl.handle.net/10400.2/3668
Aparece nas colecções:Mestrado em Estudos de Língua Portuguesa - Investigação e Ensino / Master's Degree in Studies on Portuguese Language - TMELP

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
TMELP_CarolinaJoaquim.pdf3,64 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.