Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.2/3455
Título: S. Tomé de Meliapor em fins do séc. XVII : na Storia do Moghor de Niccolao Manucci
Autor: Silva, José Manuel Rebelo Freire da
Orientador: Avelar, Ana Paula
Palavras-chave: Manucci, Niccolao, 1639-1717
História de Portugal
Descobrimentos portugueses
Administração
Cidade
Literatura de viagens
Século XVII
Índia
Data de Defesa: 2014
Citação: Silva, José Manuel Rebelo Freire da - S. Tomé de Meliapor em fins do séc. XVII na Storia do Moghor de Niccolao Manucci [Em linha]. Lisboa : [s.n.], 2014. 356 p.
Resumo: A partir das descrições sobre os portugueses de S. Tomé de Meliapor por Niccolao Manucci na sua Storia do Mogor, reimpressa em 1981 depois de uma primeira publicação em 1907, fizemos uma leitura mais aprofundada da sua obra que nos permitiu recolher alguns dos seus testemunhos não só sobre os portugueses desta cidade, mas também sobre os portugueses da Índia em geral, no período de fim de Seiscentos e princípio de Setecentos, em vários locais por onde Manucci passou, desde Baçaim, Goa, Damão, Hugli, até nos sítios mais diversos da Índia onde os encontrou como comerciantes, religiosos, ou militares e aventureiros ao serviço dos mugores, por vezes seus companheiros de armas e de viagens. Acompanhamos também o trabalho de William Irvine, o investigador que seguiu a pista dos manuscritos de Manucci, os descobriu e traduziu para a língua inglesa já que foram escritos em português, francês e italiano, e que aferiu muitos dos acontecimentos descritos por Manucci com a investigação histórica ao longo de sete a dez anos da sua vida e verificou a sua credibilidade. Aprofundamos também o conhecimento da história dos portugueses na Índia através da pesquisa em fontes dispersas e sobretudo a do urbanismo e da arquitectura que levaram consigo e deu forma às cidades portuárias que fundaram ou desenvolveram, como foi o caso de S. Tomé de Meliapor, cidade Portuguesa que cresceu à beira do suposto túmulo do Apóstolo Tomé, na costa do Coromandel. Procuramos na obra de Manucci descobrir os indícios e as omissões sobre como seria a cidade dos portugueses, hoje um pequeno bairro da metrópole de Chennay, durante muitos anos conhecida como Madras. Tentamos completar este conhecimento da cidade com uma reconstituição histórica do seu passado e, partindo de alguns pressupostos a que alguns trabalhos recentes de investigação sobre o urbanismo e a arquitectura portuguesa na Ásia e no Mundo nos levaram a formular, procuramos pistas para futura investigação sobre este património urbanístico e cultural dos portugueses na Índia, em S. Tomé de Meliapor, esquecido e quase ignorado, excepto por algumas igrejas bem conservadas e ainda existentes, visíveis, e que constituem hoje património arquitectónico e cultural da Índia.
Reading some descriptions about the portuguese in S. Thomé de Meliapor made by Niccolao Mannuci in his Storia do Mogor, reprinted in 1981 from its first publication in 1907, we did a more detailed reading of his work that allowed us to collect his witness on the portuguese habitants of this town but also on the portuguese in India in general, in the end of the Six Hundreds and beginning of the Seven Hundreds, in many places where Manucci has been, since Bassain, Goa, Daman, Hugli, or in the most diverse places in India where he found them as trade people, religious or military and adventurers at mughal service, as his comrades in arms or as travel companions only. We looked also to the work of William Irvine the researcher who followed the trail of Manucci manuscripts, who discovered and translated them into English since they were produced in portuguese, french and italian languages. Irvine also checked many of the events described by Manucci conducting seven to ten years of historical research to assess them and the credibility of his writings. We tried to bring up a better knowledge of the history of the portuguese in India at that time through different and sparse sources, and we looked for, mainly, the urbanization and architecture that they brought with them and materialized in the harbour towns they founded or developed as it was the case of S. Thomé de Meliapor, a portuguese town that grew up on the verge of the supposed tomb of the apostle Thomas, in the Coromandel Coast, oriental India. In Manucci work, we looked for the evidences and omissions about how it would look like, the town of the portuguese, today a small neighbourhood of the Chennay metropolis, for many years known as Madras. We tried also to complete this knowledge of the town with an historical reconstitution of its past and, departing from a few assumptions drawn from late research on portuguese urbanism and architecture in Asia and in the World, we were driven to open clues for further research on this particular urban and cultural heritage of the portuguese in India, forgotten and almost ignored, except for some well kept churches that still exist, well visible, and which are today Indian architectural and cultural heritage.
Descrição: Dissertação de Mestrado em Estudos do Património apresentada à Universidade Aberta
URI: http://hdl.handle.net/10400.2/3455
Aparece nas colecções:Mestrado em Estudos do Património / Master's Degree in Heritage Studies - TMEP

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
TMEP_JoseSilva.pdf26,87 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.