Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.2/3350
Título: Hatchepsut : a mulher que foi faraó
Autor: Sales, José das Candeias
Palavras-chave: Egiptologia
História política
Data: 2008
Editora: Associação de Solidariedade Social dos Professores
Citação: Sales, José das Candeias, Hatchepsut : a mulher que foi faraó. "Boletim Informativo da Associação de Solidariedade Social dos Professores" [Em linha]. Nº 152 (Março/Abril 2008), p. 13-14
Resumo: Entre as mulheres que desempenharam a função de governantes no antigo Egipto, a mais célebre e conhecida é seguramente Cleópatra, a última representante da dinastia dos Ptolomeus, que reinou entre os anos 51 e 30 a.C. Cerca de 1500 anos antes dela, porém, entre 1498 e 1483 a.C., no período da história do Egipto antigo chamado Império Novo, na XVIII Dinastia, uma outra mulher ascendeu à categoria de per-aa ou faraó, como vulgarmente designamos os reis do Egipto. Chamava-se Hatchepsut. Neste texto avaliamos esta excepcional situação de uma mulher ascender à categoria real e de se conformar ao ideal faraónico, através justamente do exemplo histórico desta filha de faraó, irmã de faraó, esposa de faraó, mas que, como mulher, não estava destinada ao supremo exercício da realeza egípcia.
Peer review: no
URI: http://hdl.handle.net/10400.2/3350
Aparece nas colecções:História, Arqueologia e Património - Artigos em revistas nacionais / Papers in national journals

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
2008_Hatchepsut, a mulher que foi faraó_13, 14.pdf71,79 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.