Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.2/3319
Título: Os usos espaciais das construções com preposições em português língua não-materna
Autor: Matias, Carla Sofia Andrade Vicente
Orientador: Batoréo, Hanna
Palavras-chave: Ensino de línguas
Língua portuguesa
Português língua não materna
Semântica
Síntaxe
Aprendizagem de línguas
Aquisição da linguagem
Mother tongue
L2 Acquisition
Semantics
Syntax
Space
Preposition
Data de Defesa: 2014
Citação: Matias, Carla Sofia Andrade Vicente - Os usos espaciais das construções com preposições em português língua não-materna [Em linha]. Lisboa : [s.n.], 2014. 162 p.
Resumo: O presente trabalho, enquadrando-se nas competências semântica e sintática da língua (Sim-Sim, 1998) e inserido-se no quadro teórico-metodológico da Linguística Cognitiva, teve como ponto de partida um corpus linguístico produzido por vinte alunos de Língua Materna Inglesa, divididos equitativamente em dois grupos de estudo, de acordo com faixas etárias diferenciadas (11 e 13 anos e 14 e 15 anos). Apresentando como suporte teórico o quadro tipológico de Leonard Talmy (1975, 1978, 1983, 1985, 1988; cf. Batoréo, 2000) sobre o estudo do Espaço, foi nosso objetivo investigar os usos espaciais das construções com as preposições „a‟, „para‟, „de‟, „em‟ e „por‟ por alunos de Português Língua Não-Materna (PLNM), destacando, de acordo com as preposições acima mencionadas, a Situação de Deslocação – Movimento (Origem, Ponto de Chegada ou Direção, Percurso e Modo da deslocação) e Localização. Neste âmbito, pretendemos apresentar contextos de uso espacial de construções com preposições a alunos PLNM, de forma a descrever e caracterizar tanto as suas dificuldades como as suas competências linguísticas na área, tomando em consideração, na análise dos dados, fatores como os anos de permanência em Portugal, os anos de aprendizagem da língua, a idade e a motivação. De acordo com os resultados obtidos, comprovou-se a existência de variação nos usos espaciais das construções com as preposições em estudo por parte dos alunos PLNM, particularmente na Situação de Deslocação, sendo que na Situação de Localização os alunos revelaram melhores competências linguísticas. Assim, concluímos que os alunos PLNM demonstraram mais dificuldades (i) no Ponto de Chegada ou Direção (no uso das preposições „a‟ e „para‟, especialmente na oposição do traço semântico de [- permanência] e [+permanência]; (ii) no Modo como é efetuada a deslocação (uso das preposições „de‟ e „em‟ com meios de transporte genéricos e mais específicos, respetivamente, e com a preposição „a‟ quando o meio de transporte é concebido como não-contentor); (iii) na marcação do Percurso da deslocação (uso da preposição „por‟). Deste modo, são confirmadas as hipóteses de trabalho apresentadas inicialmente. Após análise e discussão dos dados recolhidos, julgamos que fatores como a idade dos sujeitos ou o tempo de permanência e aprendizagem da língua não se revelaram determinantes para a justificação dos resultados obtidos.
The following research, based on the acquisition of semantic and syntactic skills of the language and supported by Cognitive Linguistics theory, had its starting point in a linguistic corpus produced by twenty Portuguese as L2 students, divided into two age groups (11-13 and 14-15 years old). The study is supported by Leonard Talmy‟s theoretical framework of Space (1975, 1978, 1983, 1985, 1988; cf. Batoréo, 2000). The main objective was to investigate the spatial use of constructions with the prepositions „a‟ / „para‟ (to), „de‟ (by), „em‟ (in / on) and „por‟ (by), with a special focus on Motion Situation – Movement (Source, Goal or Direction, Path and Manner) and Location by English as L1 students. Therefore, the main purpose was to present students with the use of spatial constructions with prepositions, in order to uncover and analyze not only their difficulties but also their strengths in this particular area. When analyzing the data, many factors were taken into consideration, such as the number of years the pupils have been in Portugal, the number of years they have been studying Portuguese, their age and their motivation. Based on the results, there is evidence that variations in the spatial use of constructions with prepositions exist by Portuguese as L2 students, particularly concerning the Motion Situation. As a result, one can conclude that Portuguese as L2 students demonstrated more difficulty (i) in Goal or Direction (in the use of prepositions „a‟ / „para‟, especially when linked to short and long term stay); (ii) in the Manner in which the move is made (the use of the prepositions „de‟ and „em‟, in reference to transportation, whether it be in general terms or more specific terms, and, in addition, with the prepositions „a‟; (iii) in Path (the use of the preposition „por‟. Therefore, the results confirm the initial hypothesis of this study. After analyzing and evaluating the data collected, factors such as age and the number of years the pupils have been exposed to the Portuguese language do not have a direct bearing on the results of this research.
Descrição: Dissertação de Mestrado em Português Língua Não-Materna apresentada à Universidade Aberta
URI: http://hdl.handle.net/10400.2/3319
Aparece nas colecções:Linguística - Teses de Mestrado / Master's Degree
Mestrado em Português Língua Não Materna / Master's Degree in Portuguese as a Foreign Language - TMPLNM

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Dissertação Mestrado Carla Matias 1002943.pdf2,34 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.