Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.2/3283
Título: Vozes de alunos sobre a violência/agressividade em casa, na escola e na rua no contexto intercultural de Chelas
Autor: Moniz, Luísa Lobão
Orientador: Grave-Resendes, Lídia
Palavras-chave: Educação intercultural
Infância
Papel da escola
Crianças socialmente desfavorecidas
Crianças maltratadas
Violência
Agressividade
Família
Métodos pedagógicos
Jogos
Contos de fadas
Estudo de casos
Chelas
Violence
Aggression
Negligence
Child
Family
Data de Defesa: 2013
Citação: Moniz, Luísa Lobão - Vozes de alunos sobre a violência/agressividade em casa, na escola e na rua no contexto intercultural de Chelas [Em linha]. Lisboa : [s.n.], 2013. 392 p.
Resumo: Vozes de alunos sobre violência/agressividade em casa, na escola e na rua no contexto intercultural de Chelas é um trabalho baseado no meu percurso profissional, como professora numa escola multicultural e em contacto directo, durante anos, com famílias e crianças em que a violência tem sido uma constante nas suas vidas. Esta investigação teve como ponto de partida dar voz às crianças enquanto vítimas, espectadoras e autores de violência/agressividade em casa, na escola e na rua. Porque se acredita que a criança é um ser que faz a sua própria história, os testemunhos baseiam-se em dados reais das suas vidas. A criança é o elemento central de todo o processo de investigação. Partiu-se de uma fundamentação teórica que tentou analisar o que é a violência, a agressividade, a negligência, assim como a importância da aprendizagem das regras e dos contos tradicionais. Estudou-se a complexidade da família, da cultura e do reconhecimento do outro. Optou-se pela triangulação através de dados recolhidos nas diferentes metodologias de estudo do mesmo fenómeno. Caracterizou-se a escola e a comunidade onde estudam e habitam os alunos que fazem parte desta investigação. Da análise de dados constatou-se que as crianças dizem que são vítimas, espectadoras e autoras de comportamentos violentos em casa, na escola e na rua e que consideram inevitável a violência por parte dos adultos, desejando, assim, para a sua segurança e bem-estar, leis, uma vida familiar estruturada e respeito mútuo. Por ser uma realidade complexa e multidisciplinar conclui-se que a Escola não pode resolver por si só este problema mas que lhe compete arranjar estratégias de organização escolar, de metodologias de ensino/aprendizagem e de articulação com as famílias e o meio envolvente, na construção de projectos teoricamente bem fundamentados e dirigidos às violências reais e às emergentes.
The voice of the pupils on violence/aggression at home, at school and in the streets within the intercultural context of Chelas is a work based upon my career as a teacher in a multicultural school and in direct contact, over several years, with families and children for whom violence is a so permanent a fact in their lives. This research takes its starting point from hearing children's voice as victims, spectators and authors of violence/aggression at home, at school and in the streets. It is our belief that a child is a human being capable of building a narrative of his/her own and all the evidence is taken from the real data of his/her life, the child being the core element to the investigation process. We tried to discuss what violence, aggression, negligence mean, starting from a theoretical basis duly established, as well as the importance of learning the rules and traditional tales. The complexities of family, culture and acknowledgment of the Other are also part of this study. Data obtained from the several approaches of the phenomena have been processed through triangulation. The particulars of the place and community where these children are taught and live are described in the study. Discussing data, we saw that children say themselves victims, viewers and authors of violent behaviour at home, at school and in the streets and consider adult violence as inevitable and that that is why they wish laws and a structured family life and mutual respect to assure their security and well-being. School being a complex and multidisciplinary reality, we come to the fact that it is not capable of solving this problem by itself; therefore, it must develop strategies that allow it to organize itself, teaching/learning methods and linkage with the families and their environment, in order to put forward working formulae theoretically informed and oriented to the questions of real and emergent violence.
Descrição: Tese de Doutoramento em Ciências da Educação na especialidade de Educação Intercultural/Multicultural apresentada à Universidade Aberta
URI: http://hdl.handle.net/10400.2/3283
Aparece nas colecções:Comunicação Multicultural e Intercultural / Multicultural and Intercultural Communication

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
texto.pdf3,95 MBAdobe PDFVer/Abrir    Acesso Restrito. Solicitar cópia ao autor!


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.