Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.2/3263
Título: Ânforas do Vale do Guadiana : o material da "Cidade das Rosas" no Museu de Serpa
Autor: Norton, José
Cardoso, João Luís
Carvalhosa, A. Barros e
Palavras-chave: História de Portugal
Pré-história
Arqueologia
Escavações arqueológicas
Cerâmica
Utensílios pré-históricos
Romanização
Data: 2006
Citação: Norton, José; Cardoso, João Luís; Carvalhosa, A. Barros e - Ânforas do Vale do Guadiana [Em linha] : o material da "Cidade das Rosas" no Museu de Serpa. "Setúbal Arqueológica". ISSN 0872-3451. Vol. 13 (2006), p. 225-232
Resumo: Estuda-se um conjunto de exemplares anfóricos recolhidos na "Cidade das Rosas", villa romana do concelho de Serpa, situada na margem esquerda do Guadiana. Veriticou-se uma fraca representação das ânforas vinárias c oleárias, face às destinadas ao transporte de preparados de peixe, situação também comum a outros conjuntos anfóricos alentejanos; porém, o conjunto em apreço contrasta com estes, pela fraca representação de ânforas do tipo Dressel 14, substituídas por produções béticas do gmpo Beltrán 11. Tal situação pode explicar-se pela intensa ligação económica das villae da margem esquerda do Guadiana com o litoral algarvio e gaditano, utilizando a via fluvial. Dali proviriam preparados piscícolas (embalados em ânforas Beltrán II) e outros produtos do mar (ostras), importados em condições vantajosas face às oferecidas pelos estuários do Tejo e do Sado: estas últimas produções só se afirmam a partir do século III d.C ., época em que o abastecimento do litoral meridional começou a declinar. Outro aspecto digno de realçe respeita à confirmação da produção bética de alguns dos exemplares da forma Almagro 50, indicada pelos resultados das análises macro e microscópicas realizadas, sublinhando a semelhança das pastas de alguns destes exemplares com as das ânforas Beltrán II, incontestavelmente com tal origem.
A group of amphorae collected in the site "Cidade das Rosas" (Serpa), a roman villa from Serpa region, on the left margin of the Guadiana river, is studied. There was a small proportion of wine and olive oil amphorae and higher proportion of those related to the fish derivates: this is a fea ture common with other studied groups of amphorae from Alto and Baixo Alentejo. Unlike these, however, the studied ensemble presents a low representation of Dressel 14 type, and instead it has a large number of Beltran II. This situation may be explained by the strong economic liaison between lhe roman villae located on the left margin ofthe Guadiana and the southern littoral areas, using the river as a waterway. From there, fish by-products and oysters were imported, rather than those comming from the Sado and Tejo estuaries. Only when the betic amphorae begun their decline, those coming from the Sado and Tejo became dominant. An interesting aspect is related to the production of some Almagro 50 amphorae, from the betic área, confimed by the results from the analysis perfomed (both macroscopic as the observation of thin sections), namely the likelihood with the Beltran II productions.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.2/3263
ISSN: 0872-3451
Aparece nas colecções:História, Arqueologia e Património - Artigos em revistas nacionais / Papers in national journals

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
2006, Anforas do vale do Guadiana, o material da Cidade das Rosas no Museu de Serpa.pdf1,98 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.