Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.2/3232
Título: O Mouro e o Turco : a percepção do outro no romanceiro português e na canção épica croata
Autor: Ramljak, Katarina
Orientador: Dias, Isabel de Barros
Palavras-chave: Literatura comparada
Literatura popular
Tradição oral
Romanceiro
Épica
Literatura portuguesa
Literatura croata
Data de Defesa: 2014
Citação: Ramljak, Katarina - O Mouro e o Turco [Em linha] : a percepção do outro no romanceiro português e na canção épica croata. [Lisboa] : [s.n.], 2014. 99 p.
Resumo: Romanceiro e canção épica integram-se numa forma de arte que circulou, oralmente, ao longo de várias gerações e que reflete o modo de vida de uma comunidade, e que é habitualmente conhecida como Literatura tradicional de transmissão oral. Não sendo reservada para pessoas especializadas nem limitada a certos espaços, podia ser contada/cantada por qualquer pessoa em qualquer lugar, tanto nos momentos de trabalho como nos momentos de descanso. O imaginário popular usa-a como um catalisador de identidade e revela tudo aquilo que perturba, fascina e assusta os membros da certa comunidade. Por isso, no nosso entender, é uma maneira privilegiada de ler e sentir a história não só dos reis e das batalhas, mas também do povo e da sua maneira de processar as alterações históricas e integrá-los na sua visão do mundo. Como anuncia o próprio título deste trabalho, o nosso objetivo prende-se com a análise da percepção do Outro representada através das figuras do Mouro no romanceiro português e do Turco na canção épica croata. Levando em consideração os diferentes contextos históricos e geográficos, o interesse deste estudo comparativo é ver em que medida podemos falar de semelhanças nessa percepção por tratar-se de duas culturas cristãs invadidas por outras muçulmanas, em Portugal moura e na Croácia turca. O trabalho é constituído principalmente pela análise de dois corpus, um português e outro croata, e da sua comparação, à qual juntamos o contexto histórico com o qual visamos explicar não só as narrativas que se prendem com acontecimentos e personagens históricos, mas também tentar aproximar as sociedades das épocas em questão cujo imaginário criou as imagens de Mouros e Turcos aqui analisadas. Para o corpus vamos considerar os romances de tradição oral moderna recolhidos em Ferré, Pere (2000), Romanceiro Português da Tradição Oral: versões publicadas entre 1828-1960. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian e as canções épicas recolhidas em Delorko, Olinko (1964), Narodne epske pjesme I. Zagreb: Matica hrvatska Zora.
Romanceiro and epic poem are part of an art form which circulated orally from generation to generation, reflecting a community's way of life and usually referred to as Traditional oral literature. Not being reserved for specialists, or limited to a specific place, they could be told/sang by anyone anywhere, either while working or resting. The popular imaginarium is used as a catalyst of identity, revealing anything that might concern, fascinate or scare members of a community. For this reason, it is our understanding that this is a privileged way of reading and experiencing history, not only pertaining to kings and battles, but also to people and their way of processing historical changes and integrating them in their vision of the world. This paper aims to analyse the perception of the Other represented by the figures of the Moor in Portuguese romanceiro and the Turk in Croatian epic poems. Taking into consideration different historical and geographical contexts, this comparative study attempts to see how we can discuss the similarities between these perceptions within two Christian cultures invaded by Muslims, the Moors in Portugal and Turks in Croatia. The paper is principally based on the analysis of two corpus, a Portuguese and a Croatian one, by comparing them and adding a historical context which allows us not only to explain the narratives dealing with historical events and figures, but also to bring the societies from the periods in question closer together, seeing how their imaginariums created the image of the Moor and the Turk analysed herein. With respect to the corpus, we are going to consider romances from modern oral tradition, collected in Ferré, Pere (2000),), Romanceiro Português da Tradição Oral: versões publicadas entre 1828-1960. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian and epic poems collected in Delorko, Olinko (1964), Narodne epske pjesme I. Zagreb: Matica hrvatska Zora.
Descrição: Tese de Mestrado em Estudos Portugueses Multidisciplinares apresentada à Universidade Aberta
URI: http://hdl.handle.net/10400.2/3232
Aparece nas colecções:Mestrado em Estudos Portugueses Multidisciplinares / Master's Degree in Multidisciplinary Portuguese Studies - TMEPM

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ramljak_mestrado.pdf846,91 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.