Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.2/3223
Título: Polished stone artefacts at the prehistoric settlement of Leceia (Oeiras)
Autor: Cardoso, João Luís
Palavras-chave: História de Portugal
Arqueologia
Pré-história
Utensílios pré-históricos
Oeiras
Data: 2004
Editora: Deutsches Archalogisches Institut
Citação: Cardoso, João Luís - Polished stone artefacts at the prehistoric settlement of Leceia (Oeiras) [Em linha]. "Madrider Mitteilungen". ISSN 0418-9744. Nº 45 (2004), p. 1-32
Resumo: Artefactos de pedra polida do povoado pré-histórico de Leceia (Oeiras). Neste estudo apresentam-se os resultados do exame petrográfico (por observação macroscópica e com recurso a observações ao microscópio de luz polarizada, em lâmina delgada), de mais de duzentos instrumentos de pedra polida recolhidos em estratigrafia nas escavações conduzidas pelo signatário entre 1983 e 2002 no povoado pré-histórico fortificado de Leceia (concelho de Oeiras, distrito de Lisboa). Uma atenção particular foi dispensada ao grupo dos anfiboloxistos cujos afloramentos mais próximos se localizam a mais de 100 km de distância, na bordadura ocidental do Maciço Hercínica, lirnüando desse lado a bacia terciária do Tejo. Mais de 75% das rochas identificadas em Leceia são deste grupo, como em outros povoados do Neolítico Final e do Calcolítico da Estremadura portuguesa. Tal facto configura a existência, durante cerca de 1000 anos, entre a segunda metade do IV milénio a. C. e os meados do milénio seguinte, de um comércio rransregional de matérias-primas de origem geológica, organizado de maneira mais ou menos estável e permanente. O interesse dos resultados obtidos encontra-se ainda sublinhado pela informação estratigráfica associada a todas as 231 peças inventariadas. Deste modo, demonstrou-se acrescente importância da utilização de rochas importadas, desde o Neolítico Final ao Calcolítico Pleno, fenómeno que se integra no quadro da intensificação económica e consequente interacção que caracteriza o Calcolítico. Não se deve, porém, valorizar excessivamente tal situação: considerando a vida útil do povoado, de cerca de 1000 anos, ou apenas o período de florescimento do mesmo, entre cerca de 2900 e 2400 anos a. c., e a totalidade de peças recolhidas em Leceia ou na área adjacente, desde o século XIX, a qual ascende a cerca de 600 peças de pedra polida, e mesmo admitindo que todas fossem de anfibloxistos, a razão média de importação não ultrapassa 1, 2 peças por ano, o que é manifestamente pouco, não se podendo falar em um abastecimento maciço de tal matéria-prima.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.2/3223
ISSN: 0418-9744
Aparece nas colecções:História, Arqueologia e Património - Artigos em revistas nacionais / Papers in national journals

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
2004, Polished Stone Artefacts at the Prehistoric Settlement of Leceia, Madrider Mitteilungen 45.pdf5,65 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.