Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.2/3039
Título: Taxonomia de ferramentas de autoria: apoio na criação de materiais didáticos digitais
Autor: Costa, Agnaldo da
Raabe, André
Coelho, Adriano de Sales
Palavras-chave: Taxonomia
Ferramentas de autoria
Materiais digitais de aprendizagem
Objetos de aprendizagem
Taxonomy
Authoring tools
Digital learning materials
Learning objects
III Colóquio Luso-Brasileiro de Educação a Distância e Elearning
Data: Dez-2013
Editora: Universidade Aberta
LE@D
Citação: Costa, Agnaldo da; Raabe, André; Coelho, Adriano de Sales - Taxonomia de ferramentas de autoria [Em linha]: apoio na criação de materiais didáticos digitais. In Colóquio Luso-Brasileiro de Educação a Distância e Elearning, 3, Lisboa, 2013. "Colóquio Luso-Brasileiro...: atas". Lisboa: Universidade Aberta. LEAD, 2014. ISBN 978-972-674-738-3. p. 1-23
Resumo: Os recursos tecnológicos e os meios de comunicação evoluíram rapidamente nas últimas décadas e possibilitaram o uso de novas estratégias para apoiar o processo de ensino e aprendizagem. Uma das áreas de destaque é a Educação a Distância que possibilita ensinar através de ferramentas midiáticas, tornando a aprendizagem possível em lugares antes não alcançados. As novas tecnologias, especialmente aquelas que estão ligadas às chamadas “mídias interativas” estão promovendo mudanças na Educação, num processo que parece estar apenas começando. Tais mudanças passam pela oferta de cursos no formato online com seus recursos de interação e comunicação através deferramentas tecnológicas que possibilitam uma nova forma de interação entre professor e aluno, mudando suas relações e formas de aprendizagem. Com a introdução dessas novas práticas pedagógicas no domínio da educação associadas à adoção de metodologias, houve a necessidade de construção de conteúdos digitais que possibilitassem o seu reuso e compartilhamento, representado pelo conceito de Objetos de Aprendizagem. Objeto de Aprendizagem é qualquer recurso digital que possa ser utilizado para suporte ao ensino, ou descrito como qualquer entidade, digital ou não digital, que pode ser usada, reusada ou referenciada durante o aprendizado apoiado sobre a tecnologia. O processo de elaboração de objetos de aprendizagem leva em consideração padrões que deverão ser seguidos para que esses objetos possam ser reutilizados em diferentes plataformas e configurações. Os padrões mais utilizados atualmente são SCORM,IMS Content Packaging e IMS Common Cartridge. Para o processo de criação e edição de Objetos de Aprendizagem utilizam-se Ferramentas de Autoria. Estas oferecem um ambiente integrado para a combinação do conteúdo e interatividades nos objetos desenvolvidos. Essas ferramentas fornecem também a estrutura necessária para a organização e edição dos elementos multimídia, incluindo gráficos, desenhos, animações, sons e vídeos. Numa perspectiva do professor criador de conteúdo é necessário conhecer as características técnicas das ferramentas e o papel que exercem na criação e desenvolvimento de seus projetos educacionais. Entretanto, existe uma grande variedade de Ferramentas de Autoria, desde proprietária até open source passando por vários tipos de licenças, de GPL até freeware. Como podemos ajudar professores, leigos e profissionais ligados às áreas de desenvolvimento de materiais didáticos digitais a encontrarem ferramentas de autoria que possam ser compatíveis com padrões estabelecidos e condizentes com as características técnicas de seus projetos educacionais? Uma técnica encontrada para e classificar e organizar uma área de conhecimento é apresentada pela Ciência da Informação, campo interdisciplinar preocupado com a análise, coleta, classificação, manipulação, armazenamento, recuperação e disseminação da informação. Dentre as técnicas apresentadas temos a taxonomia, conjunto de termos estruturados de forma hierárquica, que são utilizados para representar o domínio no qual a taxonomia é aplicada. A proposta de criar uma taxonomia para classificar as ferramentas de autoria é sugerida entre alguns autores para resolução do problema. As taxonomias tradicionalmente utilizadas para classificar os softwares educacionais não deram conta da evolução rápida da tecnologia e dos projetos de sistemas. O desenvolvimento de uma taxonomia tem como apoio a norma internacional ANSI/NISOZ39. Recomenda-se o uso de vocabulários controlados para a construção de termos e facetas na construção de taxonomias. A análise facetada, concentra-se no trabalho de Ranganathan e nos refinamentos feitos pelo Classification Research Group – CRG. A classificação facetada se utiliza de um conjunto de categorias mutuamente exclusivas, onde cada uma delas reflete, isoladamente, uma característica de um determinado grupo de itens. Conhecidas como facetas, essas categorias podem ser usadas de forma combinada para descrever completamente todos os objetos de um dado conjunto. Para o desenvolvimento deste estudo foi utilizado o método disponível no sítio da Biblioteconomia, BITI, sobre desenvolvimento de taxonomia, denominado Princípio de Campos e Gomes, que orienta passos de como classificar as informações. O presente artigo apresenta as etapas da construção da taxonomia, sua aplicação e análise da proposta de classificação das ferramentas de autoria, como apoio na construção de materiais didáticos digitais. Para o levantamento de dados foi preciso considerar que quando se propõe a construção de uma taxonomia, buscam-se classificar os termos que compõem essa taxonomia em classes, as questões de ambiguidade dos termos devem ser tratadas antes da proposta taxonômica para que não haja confusão na busca das informações pelo usuário. Nesse sentido, uma das grandes contribuições de Ranganathan foi sua ordem de classificação em que divide todo o assunto em cinco categorias fundamentais: tempo, espaço, energia,matéria e personalidade conhecidas com PMEST. Após a definição das etapas elaboradas por Ranganathan aplicam-se os métodos de construção da taxonomia, definidos por Campos e Gomes, que define os seguintes passos: Captura doconhecimento: levantamento dos assuntos que deverão ser acomodados numa estrutura classificatória, servindo como ponto de acesso à informação; Análise dos documentos e informações: Consiste na análise dos documentos e informações que serão agregados à taxonomia; Elaboraçãoda estrutura classificatória da taxonomia: estabelecer os princípios utilizados na elaboração de estruturas classificatórias; Definir a forma gráfica representacional da taxonomia; Definir o software utilizado para a representação da taxonomia; Validar a taxonomia: é imprescindível a validação em todas as etapas de definição da taxonomia, que vão dos estudos dos documentos/informações agregadas até a definição das formas gráficas de representação. Nas pesquisas realizadas foram encontradas cerca de 450 ferramentas de autoria, as quais estavam relacionadas com a produção de materiais didáticos digitais, conteúdos na área educacional e serviram de base à proposta taxonômica apresentada ao final do estudo.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.2/3039
ISBN: 978-972-674-738-3
Aparece nas colecções:LE@D - Laboratório de Educação a Distância e Elearning - Comunicações congressos, conferências, seminários / Communications

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Taxo.pdf620,52 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.