Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.2/2545
Título: "Era uma vez... outra vez" : visualidade e (re)criação do imaginário com Ana Saldanha : experiência num clube de leitura
Autor: Ramos, Isabel Maria Teixeira Peixoto
Orientador: Bastos, Glória
Palavras-chave: Saldanha, Ana, 1959-
Bibliotecas escolares
Promoção da leitura
Ensino da leitura
Literatura portuguesa
Literatura juvenil
School library
Reading club
Imaginary
Ana Saldanha
Data de Defesa: 2012
Citação: Ramos, Isabel Maria Teixeira Peixoto - "Era uma vez... outra vez" [Em linha] : visualidade e (re)criação do imaginário com Ana Saldanha : experiência num clube de leitura. Lisboa : [s.n.], 2012. 158 p.
Resumo: Os contos tradicionais (re)criados por Ana Saldanha, da coleção ”Era uma vez…outra vez”, atualizam o papel que o imaginário e o simbólico podem ter no público juvenil, como transmissores de valores e sentidos profundos. Despertando a curiosidade e o gosto pela descoberta, permitem ao leitor ativo a possibilidade de percorrer o texto imagético e construir ou corroborar os sentidos, expressos numa linguagem contextualizada nas visões do mundo dos jovens (pré) adolescentes. Partindo das obras desta coleção, em Clube de Leitura, pretende-se uma abordagem original ao imaginário simbólico que as seis obras encerram, ao mesmo tempo que defenderemos que o texto literário recriado pela autora contém características comuns com a arte cinematográfica, transformando os contos tradicionais em narrativas visuais, tal como o tentaria um guionista, adaptando-se, também assim, às preferências do seu público/espectador: jovens que privilegiam o visual e o mediático, próprio da sociedade da informação em que vivem. Escrever visualmente parece ser a atitude perfeita para cativar o público juvenil para um encontro com a leitura, em tudo o que ela encerra de lúdico, de estético e de pedagógico. A leitura literária possibilitará ao leitor adolescente o acesso ao imaginário humano configurado pela literatura permitindo-lhe criar e alargar o seu horizonte de expectativas e adquirir competências para interagir criticamente com o outro. Pertencendo ao Clube de Leitura, partilhando leituras, textos, imagens e sentidos, o leitor adolescente passa a dispor de um saber que lhe permite experienciar a comunicação literária e refletir em conjunto sobre o poder da linguagem. (Re)descobrir estes textos significa ainda ampliar as experiências do mundo, alargar horizontes e adquirir progressivamente um envolvimento afetivo e uma autonomia que lhe permitirão reescrever, recriar, reinventar, apropriar-se dos textos e dos seus símbolos e integrá-los em novas formas expressivas de “ler o mundo”.
The traditional tales (re)created by Ana Saldanha, from the collection “Era uma vez…Outra vez” update the role that the imaginary and the symbolic may have in the juvenile public, as a transmitter of profound values and meanings. Awakening curiosity and the taste for discovering which allows the active reader the possibility of travelling throughout the imaginary of the text and build or corroborate its meanings, expressed in a contextualized language of the youngsters’ visions of the world of the pre adolescents. Setting out from the books of this collection, in the Reading Club, we aspire an original approach to the symbolic imaginary that the six pieces hold in themselves, at the same time we defend that the literary text recreated by the author includes common characteristics with the cinematographic art, turning the traditional tales in visual narratives, as a scriptwriter would do, adjusting, therefore, to the preferences of its public/spectators: young people who prefer the visual and the media environment, as a result of the society they live in. To write in a visual mode, seems to be the perfect way to capture the juvenile public and to lead them into a meeting with the reading, in everything of enjoyment, aesthetic and pedagogical that it holds. The literary reading will enable the teenager reader with the access to the human imaginary, shaped by literature, allowing him to create and enlarge his horizon of expectations and obtain skills to interact critically with others. Belonging to the Reading Club, sharing readings, texts, images and meanings, the juvenile reader becomes the holder of a knowledge, which allows him to experience the literary communication and be able to ponder on the power of language. To (re)discover these texts also means to broaden the experiences of the world, enlarge horizons and gain a progressive emotional engagement and an autonomy which will allow him to rewrite, recreate, reinvent, taking upon the texts and its symbols in such a way that it will enable new expressive ways of “reading the world”.
Descrição: Dissertação de Mestrado em Gestão da Informação e Bibliotecas Escolares apresentada à Universidade Aberta
URI: http://hdl.handle.net/10400.2/2545
Aparece nas colecções:Mestrado em Gestão da Informação e Bibliotecas Escolares /Master’s Degree in Information Management and School Libraries – TMGIBE

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
VRIcAS tese de mestrado Isabel Ramos.pdf2,08 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.