Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.2/2495
Título: Os professores, os alunos e os computadores : utilização, atitudes e estereótipos face aos computadores
Autor: Mendes, António Quintas
Orientador: Trindade, Armando Rocha
Palavras-chave: Comunicação multimédia
Educação
Informática
Aplicações dos computadores
Atitude
Estereótipo
Representações sociais
Sistemas homem-máquina
Aprendizagem
Novas tecnologias
Interatividade
Psicologia
Cognição
Atitude do professor
Ensino por multimédia
Alunos
Inquéritos
Data de Defesa: 2000
Citação: Mendes, António Quintas - Os professores, os alunos e os computadores [Em linha] : utilização, atitudes e estereótipos face aos computadores. Lisboa : [s.n.], 2000. 2 vol.
Resumo: Num momento em que os computadores assumem uma importância cada vez maior quer na sociedade em geral, quer no sistema educativo em particular, as questões relativas às atitudes, percepções, estereótipos e representações sociais em geral, adquirem particular relevância para o desenvolvimento das competências exigidas pelas sociedades contemporâneas. É nesse contexto que a presente investigação se debruça sobre os Padrões de Utilização, as Atitudes e os Estereótipos Sociais em tomo da utilização de computadores, quer por parte dos Professores quer por parte dos Estudantes. Para o estudo sobre as Atitudes face aos Computadores foi adoptada e adaptada a "Computer Altitude Scale" de Lloyd e Gressard (1984) cujo processo de validação deu origem a três sub-escalas: Ansiedade face aos Computadores, Interesse por Computadores e Auto-Confiança na Aprendizagem sobre Computadores. Os resultados mostram que os Utilizadores, quando comparados com os Não-Utilizadores, têm níveis mais baixos de Ansiedade e revelam mais Interesse por Computadores bem como maior Auto-Confiança na Aprendizagem sobre computadores. Tomados globalmente, os dados não revelaram diferenças importantes entre Professores e Estudantes. Revelam no entanto diferenças significativas ao nível da variável género sendo que os sujeitos do sexo masculino demonstram, em geral, atitudes mais positivas face aos computadores do que os sujeitos do sexo feminino. Estas diferenças de género surgem também no que diz respeito à frequência de utilização. Para o estudo respeitante aos Estereótipos Sociais sobre os computadores foram utilizadas várias tarefas em que eram apresentadas aos sujeitos figuras neutras que supostamente estavam envolvidas em tarefas de natureza diversificada e com níveis de complexidade diferentes (ex: "inserir dados"; "programar"). Os resultados mostram que quer os Professores quer os Estudantes percepcionam o computador como um domínio essencialmente masculino. Finalmente são discutidas possíveis explicações para as diferenças de género encontradas bem como as implicações pedagógicas deste estudo, nomeadamente estratégias de disseminação dos computadores na família e nas escolas que promovam para ambos os sexos a igualdade de oportunidades de acesso e de sucesso na educação e na sociedade.
In a time where computers assume more and more importance in society in general as well as in Education, questions about attitudes, perceptions, stereotypes and social representations in general, may assume a very important role in the development of appropriate skills for the modem society. It is in this context that we have studied teachers and students Use, Attitudes and Social Stereotypes about computers. Attitudes were studied by the means of an adaptation of a classical Attitude Scale towards computers (the Computer Attitude Scale, Lloyd and Gressard, 1984) which measures, according to our validation of the scale, Anxiety, Interest and Self-Confidence in Learning about Computers. The results indicates that Computer Users, as compared to Non-Users, have lower levels of Anxiety and higher levels of Interest and Self-Confidence in Learning about Computers. Global differences between teachers and students were not found. Instead of that, sex differences appeared to be important, with male subjects scoring higher than female subjects. Gender differences appeared also regarding frequency of Use of Computers. Social Stereotypes about Computers were studied using materials in which subjects were asked do give name and age to a target figure who was supposed to be working in different computer tasks which varied according to its "status" (e.g. from inserting data to programming). The results shows that both the teachers and the students saw computer tasks mainly as a "masculine subject". Finally we discuss possible explanations about gender differences towards computers as well as pedagogical questions that this research may pose to parents, teachers, students and reformers, regarding the problems posed by the dissemination of computers in education when faced with questions such as equality of opportunities of access and success in education and society.
Descrição: Tese de Doutoramento em Ciências da Educação na especialidade de Comunicação Educacional apresentada à Universidade Aberta
URI: http://hdl.handle.net/10400.2/2495
Aparece nas colecções:Comunicação Educacional / Educational Communication

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
TESE DE DOUTORAMENTO.doc21,5 kBMicrosoft WordVer/Abrir    Acesso Restrito. Solicitar cópia ao autor!


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.