Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.2/2410
Título: Ideologia e propaganda real no Egipto ptolomaico (305-30 a.c.)
Autor: Sales, José das Candeias
Orientador: Tavares, António Augusto
Palavras-chave: Civilizações antigas
História
Poder político
Monarquia
Cultos
Ideologias
Persuasão
Religião
Cultura
Arquitetura religiosa
Mentalidade
Ritos
Egito
Data de Defesa: 2002
Citação: Sales, José das Candeias - Ideologia e propaganda real no Egipto ptolomaico (305-30 a.c.) [Em linha]. Lisboa : [s.n.], 2002. 511 p.
Resumo: Sabendo de antemão que a ideia real era estruturante na realidade político-cultural da Macedónia e do Egipto e que a inserção dos Lágidas foi marcada por uma permanente tensão entre as interpretationes Graeca e Aegyptiaca, a problemática principal de estudo e análise nesta obra são as modalidades propagandísticas e ideológicas a que a realeza lágida recorreu para harmonizar essas tradições de forma satisfatória, isto é, segundo os seus desejos de dominação e governação. A propaganda real lágida, como estratégia de persuasão e técnica de transmissão dos ideais de realeza, reflecte, obviamente, a ideologia monárquica que a inspirou e foi organizada de forma intencional para condicionar os comportamentos dos súbditos e para conquistar a hegemonia institucional no Egipto ptolomaico. A propaganda e a ideologia real dos Lágidas ocupam, assim, o território que se situa entre a condição verdadeira e histórica da monarquia lágida em território egípcio e os modelos de comportamento que as culturas macedónica-helénica e a egípcia para ela traçaram. Isto equivale a dizer que a visão que transmitiram da sociedade e do seu funcionamento não é um reflexo fiel dos seus mecanismos históricos. Como sistema de representação tendente a satisfazer e preservar os interesses da realeza, a ideologia dos Lágidas foi marcada pela permanente tentativa de articulação, feita de inevitáveis ajustes-desajustes, dos valores directamente envolvidos. Inevitavelmente, a própria duração do quadro cronológico em que se situa o trabalho exigiu alguma plasticidade e flexibilidade das representações e dos valores, não obstante uma matriz estrutural global mais ou menos fixa. A ideologia dos Lágidas não fugiu, por isso, a uma característica idiossincrática do fenómeno ideológico, isto é, a sua vertente dinâmica, cúmplice da própria transformação do devir histórico. Todo o nosso esforço de pesquisa e de concatenação dos factos foi desenvolvido no sentido de traçar um quadro interpretativo alargado e sistematizado sobre os mecanismos e comportamentos políticos dos Ptolomeus no Egipto, nos últimos quatro séculos a.C., a partir dos vários tipos de fontes disponíveis, que pusesse particularmente em evidência os fundamentos ideológicos do seu poder e que apontasse a comunicação entre os diferentes domínios e subdomínios da ideologia e entre as suas diversas formas de expressão. Formalmente, a obra está dividida em sete capítulos. No capítulo I, intitulado genericamente Características gerais da monarquia lágida traça-se, naturalmente de forma sucinta, um quadro das principais características e dos momentos mais significativos da actuação ideológica dos reis da dinastia lágida. Nos outros seis capítulos, de acordo com a problemática de estudo definida, procuram-se os nexos de ligação entre as medidas e preocupações de afirmação e de propaganda de Ptolomeu I Sóter I e dos seus descendentes no trono do Egipto e a história e mentalidade macedónica e grega, por um lado, e as multimilenares história e tradição ideológica faraónicas, por outro. Na maior parte dos casos recorreu-se às fontes primárias, em grego e em egípcio, com o objectivo de se conseguir um maior aprofundamento e entendimento das temáticas ou das perspectivas de interpretação em causa. Não se deixou necessariamente de utilizar reputadas edições críticas de fontes, permanentemente atentos ao estudo comparativo e ao cotejo da versão com a fonte original, de forma a garantir o procurado rigor científico do estudo.
Given that it was formerly thought that the idea of kingship underpinned the political and cultural reality of Macedonia and Egypt and that the insertion of the Ptolemies was marked by a continuous tension between the interpretationes Graeca and Aegyptiaca, the main object of this study the propagandistic and ideological methods the ptolemaic kingship employed to conciliate these traditions in a satisfactory way, this is, according to their wishes of domination and government. The ptolemaic propaganda, as a persuasion strategy and transmission technique of the royalist ideals, reflects, obviously, the ideology of monarchy that inspired it and was organized intentionally to condition people's behaviour and achieve institutional hegemony in Ptolemaic Egypt. Ptolemaic propaganda and ideology, therefore, occupy an area situated between the true and historical condition of the ptolemaic monarchy in Egypt, and the behaviour models imported from Macedonian–Hellenic and Egyptian cultures. This means that their vision of the society is not a reliable image of its historical mechanisms. As a system of representation that tried to satisfy and protect the interests of the kingship, the ptolemaic's ideology was marked by constant attempt to articulate the inevitable agreements-disagreements, of the values involved. Inevitably, the duration of the chronological period in which we move required some flexibility of the representations and values, notwithstanding a structural and global matrix more or less fixed. Far from being an idiosyncratic characteristic of the ideological phenomenon, ptolemaic ideology in its dynamic side supported its own transformation of its historical role. All research and marshalling of the facts was undertaken in a way it helped to establish, from the different kinds of sources availables, an interpretative and systematized picture of the mechanisms and political behaviour of the ptolemaic people in Egypt, during the last four centuries B. C., clarifying the ideological principles of their power and illustrating the links between the different dominions and sub-dominions of the ideology in its different ways of expression. The work is divided into seven chapters. In the first, entitled General Characteristics of Ptolemaic kingship, it is point out in summary form the principal characteristics and the most important moments in the making of the royal ideology of the Ptolemaic dynasty. The aim was, essentially, to present a brief panorama of Ptolemaic history, in the light of the most important events related to the institution of the monarchy and its ideological formulation. In the other six chapters, following to the problematic defined for the study, our intention was to investigate the nexus between the measures and the preoccupations in the affirmations and propaganda of Ptolomeu I Sóter I and his descendents in Egyptian throne, with on the one hand Macedonian and Greek history and mentality, and on the other the multimillenarian history and pharaohnic ideological tradition. For the most part, it has been used primary sources, in Greek and Egyptian, with the purpose of achieving a better understanding of the themes and the perspectives of the interpretation in question. Naturally, only the most reputable critical editions were employed, owing to the importance they have when comparing different versions with the original source, in order to guarantee the scientific nature of the study.
Descrição: Tese de Doutoramento em em História na especialidade de História Antiga apresentada à Universidade Aberta
URI: http://hdl.handle.net/10400.2/2410
Aparece nas colecções:História Antiga / Ancient History

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
jose.sales-TD.pdf32,09 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.