Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.2/2327
Título: Segurança na manipulação de alimentos nas cozinhas domésticas : aplicação da Teoria do Comportamento Planeado
Autor: Amorim, Paula Marília Freitas
Orientador: Moura, Ana Pinto
Cunha, Luís Miguel
Palavras-chave: Segurança alimentar
Alimentação
Higiene alimentar
Comportamento alimentar
Teoria do comportamento
Controlo
Data de Defesa: 2012
Citação: Amorim, Paula Marília Freitas - Segurança na manipulação de alimentos nas cozinhas domésticas [Em linha] : aplicação da Teoria do Comportamento Planeado. Porto : [s.n.], 2012. 143 p.
Resumo: Segundo dados revelados pela Autoridade Europeia para a Segurança Alimentar, em 2009, as cozinhas domésticas assumem-se como o local onde a prevalência das doenças de origem alimentar é maior, não obstante os manipuladores de alimentos domésticos conhecerem os conceitos gerais de manipulação segura de alimentos. O presente estudo pretendeu avaliar quais os constructos do modelo da Teoria de Comportamento Planeado que melhor explicam a intenção do consumidor em adoptar uma conduta higiénica na manipulação de alimentos nas cozinhas domésticas. Para o efeito, foram aplicados, por entrevista directa, duzentos e vinte e nove questionários. Os inquéritos foram analisados estatisticamente recorrendo a análise factorial, consistência interna, regressão linear e metodologia de análise de trajectórias. Os resultados da pesquisa indicam que os melhores preditores da intenção foram o controlo comportamental percebido (0,556***) e comportamento passado (0,294***). Estes resultados reforçam as novas abordagens relativamente à segurança alimentar que apontam para a necessidade de se criar uma “cultura em segurança alimentar”, pelo que se considera que as intervenções governamentais ou sectoriais/particulares a realizar com o objectivo de melhorar os comportamentos de higienização das mãos e das tábuas devem mitigar as barreiras associadas às boas práticas de higiene e segurança alimentar. Para o efeito, a uma comunicação institucional deverá recorrer a uma mensagem regular e objectiva sobre a gravidade e a prevalência das doenças de origem alimentar, bem como, das práticas correctas de higienização e manipulação segura dos alimentos, utilizando-se uma informação acessível ao consumidor. Dado que o controlo comportamental percebido e o comportamento passado explicam, por si, 85 % da variabilidade da intenção, deve-se igualmente considerar os hábitos culturais já interiorizados pelos consumidores bem como as dificuldades na execução dessas práticas, dando instruções de fácil entendimento e execução.
According to data revealed by the European Food Safety Authority, in 2009, household kitchens are assumed as the place where the prevalence of foodborne diseases is higher, despite the domestic food handlers know the general concepts of safe handling of food. The present study aimed to evaluate which constructs from the model of Theory of Planned Behavior better explain the consumer's intention to adopt hygienic handling of foods in home kitchens. For this purpose, were applied by direct interview, two hundred twenty-nine questionnaires. The surveys were statistically analyzed using factor analysis, internal consistency, and linear regression analysis and path modeling. The survey results indicate that the best predictors of intention were perceived behavioral control (0.556 ***) and past behavior (0.294 ***). These results reinforce the new approaches to food safety that point to the need to create a "culture on food security," it is considered that government and sector / private interventions with the aim of improving hygiene behaviors of hands and the boards should mitigate the barriers associated with good hygiene practices and food safety. To this end, a corporate communication should use a regular and objective message about the severity and prevalence of foodborne diseases, as well as the good practices of hygiene and safe food handling, using accessible information to consumers. Given that perceived behavioral control and past behavior explained, by itself, 85% of the variability of intent, one must also consider cultural habits of consumers as well as the difficulties in implementing these practices, giving instructions easy to understand and implement.
Descrição: Dissertação de Mestrado em Ciências do Consumo Alimentar apresentada à Universidade Aberta
URI: http://hdl.handle.net/10400.2/2327
Aparece nas colecções:Mestrado em Ciências do Consumo Alimentar / Master's Degree in Food Consumption Sciences - TMCCA

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
TMCCA_PaulaAmorim.pdf1,38 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.