Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.2/2150
Título: O campo de Santa Clara, em Lisboa : cidade, história e memória : um roteiro cultural
Autor: Serol, Maria Elisabete Gromicho
Orientador: Câmara, Maria Alexandra Trindade Gago da
Palavras-chave: História local
Património cultural
Memória
Patriotismo
Bairro
Feiras
Monumentos
Lisboa
Santa Clara
Script
Heritage
Clara Saint
History
It safeguards
Classification
Lisbon
Pantheon
Fair of Ladra
Market
Palace
Data de Defesa: 2012
Citação: Serol, Maria Elisabete Gromicho - O campo de Santa Clara, em Lisboa [Em linha] : cidade, história e memória : um roteiro cultural. Lisboa : [s.n.], 2012. 2 vols.
Resumo: A História do Campo de Santa Clara remonta à conquista da cidade de Lisboa (1147), por ter sido este o local escolhido por D. Afonso Henriques (1139-1185) para acampar com as suas tropas e planear a vitoriosa conquista da cidade aos Mouros. Local de características baldias recebeu no mesmo ano, em resultado do cumprimento de um voto secreto feito ao Mártir São Vicente (Século IV) e a favor da vitória contra o infiel, a sua primeira edificação, a Igreja Mosteiro de S. Vicente. Devido à sua fraca densidade populacional, veio a tornar-se, o Campo, num local de sentenciamento e execução de penas capitais recebendo, por algum tempo, o nome de “Campo da Forca”. Em 1288, já sob o domínio de D. Dinis (1279-1325), acolheu, o Campo, na sua parte oriental o Mosteiro de Santa Clara, do qual provém o seu actual nome. Posteriormente, em meados do século XVI, foi a vez da Infanta D. Maria (1521-1577), filha de D. Manuel I (1485-1521), eleger o local para a construção dos seus Paços e para a edificação da Igreja Paroquial de Santa Engrácia, a qual pelas mais diversas vicissitudes, deu lugar ao Panteão Nacional. O local foi, igualmente, bordejado por edificações com características palacianas. No século XIX deu-se a transferência, definitiva, da Feira da Ladra para o Campo de Santa Clara e a construção de um Mercado, o único e o último dos exemplares da época de ouro da Arquitectura do Ferro em Lisboa. O Campo de Santa Clara reúne, assim, um forte legado patrimonial, artístico e cultural testemunho da sua longa vivência e revelador das diversas mutações sociais operadas ao longo dos anos, relacionadas, por exemplo, com a extinção das ordens religiosas e a alteração de funções dos vários espaços religiosos e civis existentes. Entende-se que, apesar das várias alterações de carácter de utilização sofridas, deve o Campo de Santa Clara ser visto e entendido como um todo, que soube, ao mesmo tempo, preservar as suas características mais intrínsecas. Portador de uma rica e variada história, incorre o Campo no risco de, quer por desleixo ou ignorância, perder a sua memória e a sua identidade. É objectivo deste trabalho recuperar, salvaguardar e perpetuar sob a forma escrita, a sua memória, a sua história e a dignidade que este local merece, valorizando-o e divulgando-o, sob a forma de roteiro histórico patrimonial. A preparação e organização deste roteiro foi precedida de um exaustivo trabalho de campo, que permitiu avaliar, seleccionar, catalogar e inventariar os elementos de maior interesse artístico, patrimonial ou cultural, existentes no local eleito para a elaboração deste trabalho, através do estudo da bibliografia existente, bem como do recurso aos mais diversos arquivos locais e nacionais, que norteou o trabalho de investigação, na busca de fontes manuscritas, impressas e iconográficas de relevante interesse para o trabalho.
The History of the Field of Clara Saint retraces to the conquest of the city of Lisbon (1147), for having been this the place chosen for D. Afonso Henriques (1139-1185) to camp with its troops and to planear the victorious conquest of the city to the Mouros. Place of baldias characteristics received the same in year, in result of the fulfilment of a made private vote to the Mártir Is Vicente (Century IV) and in favor of the victory against the infidel, its first construction, the Church Monastery of S. Vicente. Due to its weak population density, it came to become, the Field, in a place of execution of capital punishment receiving, for some time, the name of “Field of the Gallows”. In 1288, already under the domain of D. Dinis (1279-1325), received, the Field, in its eastern part the Monastery of Clara Saint, from which its current name comes. Later, in middle of century XVI, it was the time of Princess D. Maria (1521-1577), son of D. Manuel I (1485-1521), to choose the place for the construction of its Home and for the construction of the Parochial Church of Engrácia Saint, which for the most diverse vicissitudes, gave place to the Panteão Nacional. The place was, equally, received constructions with palacianas characteristics. In century XIX transference, definitive was given to it, of the Fair of Ladra for the Field of Clara Saint and construction of a Market, the only e the last one of the units of the time of gold of the Architecture of the Iron in Lisbon. The Field of Clara Saint congregates, thus, a strong patrimonial, artistic legacy and cultural certification of its long experience and revealer of the diverse operated social mutations throughout the years, related, for example, with the extinguishing of the religious orders and the alteration of functions of the some existing religious and civil spaces. One understands that, although the some suffered alterations of kinds of uses, must the Field of Clara Saint be seen and be understood as a whole, that it knew, at the same time, to preserve its more intrinsic characteristics. Carrier of a rich one and varied history, incurs the Field into the risk of, wants for negligence or ignorance, to lose its memory and its identity. It is important for this work recoup, safeguard and perpetuate under the written form, the memory, the history and the dignity that this place deserves, valuing it and divulging it, under the form of patrimonial historical script. The preparation and organization of this script were preceded of an exhausting work of field, that allowed to evaluate, to select, to catalogue and to inventory the elements of bigger artistic interest, patrimonial or cultural, existing in the elect place for the elaboration of this work, through the study of the existing bibliography, as well as of the resource to the most diverse local and national archives, that the inquiry work guided, in the search of written by hand sources, iconographic printed and of excellent interest for the work.
Descrição: Dissertação de Mestrado em Estudos do Património apresentada à Universidade Aberta
URI: http://hdl.handle.net/10400.2/2150
Aparece nas colecções:Mestrado em Estudos do Património / Master's Degree in Heritage Studies - TMEP

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
TMEP_MElisabeteSerol.Vol.1.pdf29,96 MBAdobe PDFVer/Abrir
TMEP_MElisabeteSerol. Vol. 2. pdf142,33 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.