Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.2/2043
Título: A utilização do telemóvel em contexto educativo : um estudo de caso sobre as representações de alunos e de professores dos 9º e 12º anos de escolaridade
Autor: Carrega, João António Marques da Costa Batista
Orientador: Mendes, António Quintas
Palavras-chave: Educação
Novas tecnologias
Telemóveis
Inovações educativas
Atividade
Representações sociais
Alunos
Professores
Mobile phone and educational environment
ICT and education
Teachers’ representations
Students’ representations
Digital literacy
Communication at school
Data de Defesa: 2011
Citação: Carrega, João António Marques da Costa - A utilização do telemóvel em contexto educativo [Em linha] : um estudo de caso sobre as representações de alunos e de professores dos 9º e 12º anos de escolaridade. Lisboa : [s.n.], 2011. XII, 109, XXIX p.
Resumo: A escola enfrenta hoje um dos seus maiores desafios, o desafio digital. De um lado estão os alunos, nativos digitais, que nasceram com as novas tecnologias. Do outro, os professores, imigrantes digitais, obrigados a adaptar-se àquilo que essas novas tecnologias trouxeram e aos novos hábitos que surgiram no seio da comunidade escolar. Presença assídua junto dos jovens e também da classe docente, o telemóvel surge como um equipamento capaz de fazer emergir as mais variadas representações face à sua utilização, enquanto recurso educativo. Mesmo sendo interdito dentro da sala de aula, por imposição das próprias escolas e dos normativos legais ele permanece activo, mas em silêncio, junto dos alunos e dos professores. É esta a realidade que a escola encontra. O telemóvel tornou-se num acessório de uso quase obrigatório pelas gerações mais novas e é utilizado numa série de situações diárias, desde as aulas, aos tempos lúdicos e aos tempos passados com a família ou com os amigos (E-Generation, 2007). Mas que representações têm os alunos e professores quanto ao uso do telemóvel em contexto educativo? Para respondermos a esta questão realizámos um estudo de caso transversal, já que a recolha de dados junto do universo a estudar foi realizada através de técnicas de registo (questionário), aplicadas apenas num dado momento. Deste modo construímos, validámos e aplicámos um questionário junto de 179 alunos e 88 professores do 9º e do 12º ano de duas escolas EB3/Secundárias de Castelo Branco. Os resultados indicam que, embora tenham representações diferentes, a maioria dos alunos e professores inquiridos não se revela muito receptiva à utilização do telemóvel em contexto educativo. Os alunos dos dois anos de escolaridade afirmam não conseguir apresentar uma situação em que os professores os pudessem ensinar melhor um assunto através do telemóvel, nem tão pouco conseguem imaginar uma situação em que pudessem aprender melhor um assunto através do telemóvel. Por outro lado, uma percentagem significativa dos docentes não reconhece vantagens pedagógicas na sua utilização.
Nowadays school faces one of its biggest challenges, the digital challenge. On one side the students, digital natives, who were born with new technologies. On the other side, the teachers, digital immigrants, forced to adapt not only the new technologies uses but also to the new habits emerged within the school community. Always present among young people as well as in the teaching group, the mobile phone appears as a device able to generate the most various representations regarding its use, as an educational resource. Even being forbidden in the classroom, according to the school rules and the legal laws, it remains active, but in silence, by students and teachers. This is the reality that school faces. The mobile phone became an almost mandatory accessory use by younger generations and it is used in a variety of everyday situations, from classes to free time activities and time spent with family or friends (E-Generation, 2007). But which representations do students and teachers have about the use of the mobile phone in an educational environment? In order to answer this question we conducted a transversal case study, since the collection of data from the universe to study was performed through techniques of record (questionnaire), applied only at a given time. So we built, validated and implemented a survey with 179 students and 88 teachers from 9th and 12th grade in two EB3/Secondary Schools of Castelo Branco. The results show that, although they have different representations, most of the surveyed students and teachers do not reveal much receptivity to the use of mobile phone in an educational environment. The students from these two years of schooling couldn’t refer a situation where a subject could be better taught through the mobile phone, not even imagine a situation where they could learn a subject better through mobile phone. On the other hand, a significant percentage of teachers do not recognize pedagogical advantages in its use.
Descrição: Dissertação de Mestrado em Comunicação Educacional Multimédia apresentada à Universidade Aberta
URI: http://hdl.handle.net/10400.2/2043
Aparece nas colecções:Mestrado em Comunicação Educacional Multimédia / Master's Degree in Multimedia Educational Communication - TMCEM

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
João Carrega.pdf711,52 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.