Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.2/1892
Título: Economia computacional: comportamento racional e complexidade
Autor: Gomes, Orlando
Palavras-chave: Economia computacional
Complexidade
Racionalidade
Pensamento económico
Sistema macroeconómico
Agentes heterogéneos
Expetativa
Evolução
Aprendizagem
Complexity
Rationality
Economic thought
Heterogeneous agents
Expectations
Learning
Evolution
Macroeconomic system
Computational economics
REA
Data: 2010
Editora: Universidade Aberta
Citação: Gomes, Orlando - Economia computacional : comportamento racional e complexidade. "Revista de Ciências da Computação" [Em linha]. ISSN 1646-6330. Nº 5 (2010), p. 55-81
Resumo: O paradigma central de análise em Economia assenta na noção de agente representativo. Indissociável desta noção é a ideia de racionalidade estrita, ou seja, a ideia de que os agentes económicos possuem uma capacidade ilimitada de compreensão da realidade que os envolve, o que lhes permite formular expectativas „correctas‟ sobre o futuro, isto é, expectativas que à partida não incorrem em qualquer erro de natureza sistemática. Esta visão, embora simplista e redutora face ao verdadeiro comportamento humano, serviu durante décadas os propósitos da ciência económica e possibilitou avanços importantes no que concerne à compreensão da realidade que nos rodeia. No entanto, colocam-se hoje reservas importantes à capacidade deste paradigma em continuar a fazer progredir o conhecimento acerca do funcionamento do sistema económico. A emergência de uma interpretação da Economia enquanto sistema complexo é o reconhecimento de que diferentes entendimentos do conceito de racionalidade são possíveis, de que os agentes económicos são na realidade heterogéneos (nas suas acções, crenças, expectativas e preferências), e de que estes interagem necessariamente através de um conjunto de relações em que a aprendizagem, a adaptação e a evolução são elementos centrais. Neste artigo, é revista a literatura recente sobre complexidade em Economia e perspectiva-se, a partir daí, o futuro desta ciência.
The central paradigm of analysis in Economics is based on the notion of representative agent. Inseparable from this notion is the idea of strict rationality, that is, the idea that economic agents possess an unlimited capacity to understand the reality that surrounds them, allowing them to formulate „correct‟ expectations about the future, i.e., expectations that at first do not incur in any error of a systematic nature. This view, although simplistic and reductionist in light of the true human behavior, has served for decades the purposes of economic science and allowed for important advances in what concerns the understanding of the reality that surrounds us. However, major reservations are posed today on the capacity of this paradigm to continue advancing the knowledge about the functioning of the economic system. The emergence of an interpretation of economics as a complex system is the recognition that different understandings of the concept of rationality are possible, that the economic agents are actually heterogeneous (in their actions, beliefs, expectations and preferences), and that these interact necessarily through a set of relationships in which learning, adaptation and evolution are central elements. In this paper, we review the recent literature on complexity in Economics and put in perspective thereafter the future of this science.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.2/1892
ISSN: 1646-6330
Aparece nas colecções:REA - Revista de Ciências da Computação
Revista de Ciências da Computação

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
RCC_5.5.pdf419,47 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.