Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.2/1883
Título: As representações sociais e expectativas dos professores do 3º Ciclo e Ensino Secundário face à utilização da Plataforma Moodle
Autor: Farias, Patrícia Marina Cunha
Orientador: Mendes, António Quintas
Palavras-chave: Tecnologia da informação e comunicação
Internet
Ensino a distância
Elearning
Blearning
Plataforma Moodle
Professores
Atitude do professor
Perceção
Representações sociais
New technologies
Teacher
Moodle
Constructivism
Social representations
Data de Defesa: 2011
Citação: Farias, Patrícia Marina Cunha - As representações sociais e expectativas dos professores do 3º Ciclo e Ensino Secundário face à utilização da Plataforma Moodle [Em linha]. Lisboa : [s.n.], 2011. XVII, 201, [34] p.
Resumo: Conhecer o universo das significações com que os professores encaram a plataforma Moodle foi a principal linha que norteou o presente trabalho. Em boa verdade, quando se pensa numa determinada realidade, concebem-se variegadas significações em torno da mesma e, à medida que o tempo vai passando, tais significações vão-se definindo, vão-se consolidando. Ora, foi esta a ideia que impulsionou a realização do estudo que nos propusemos fazer. Assim, a nossa motivação baseou-se no desejo de conhecer as representações que os professores, do 3.º ciclo e ensino secundário, constroem do trabalho com a plataforma virtual de aprendizagem Moodle. Para levar a cabo este trabalho aplicou-se um questionário a uma amostra de conveniência, constituída por docentes de escolas do 3.º ciclo e ensino secundário, pertencentes aos distritos da Guarda e de Castelo Branco, utilizadoras activas da plataforma Moodle. A escolha destes ciclos de ensino teve por base a convicção de que eles representam o final de ciclos que se revelam cruciais para o aluno, uma vez que são momentos de transição. Estes momentos de transição exigem do sujeito aprendente um papel mais activo, isto é, será necessário que se tornem ainda mais responsáveis, mais autónomos. Para além disso, é nestes ciclos de ensino que se tem verificado uma maior incidência de professores utilizadores da Moodle. Além dos questionários, foram também efectuadas seis entrevistas a formadores de professores, também eles professores, que ministraram/ministram acções de formação que visam preparar os docentes para a utilização da plataforma. Estas entrevistas possibilitaram complementar os dados obtidos através da análise dos questionários. De um total de 366 questionários, foram obtidos 225 casos válidos, isto é, 225 professores utilizadores da Moodle, sendo que o intervalo de idades da maioria dos inquiridos se situa entre os 41 e os 50 anos de idade (41%), seguido de perto pelo intervalo dos 31 aos 40 anos de idade (38%). A média de idades dos inquiridos situa-se nos 41 anos. Em termos de género, 63% dos inquiridos são do sexo feminino e 37% do sexo masculino. Os resultados obtidos revelaram existir uma atitude maioritariamente positiva face ao trabalho com a Moodle, sendo considerada uma ferramenta com elevado cariz interactivo, estimulante, motivadora, capaz de promover e melhorar do aproveitamento do aluno, incentivando-o a tornar-se mais activo, mais autónomo. A Moodle é encarada, por muitos docentes, como uma ferramenta com grandes potencialidades pedagógicas, capazes de criar um ambiente incitante para o aluno, uma vez que vai ao encontro das suas motivações, pois recorre à utilização das novas tecnologias, tão do gosto dos nossos alunos. Os professores tendem a representar o trabalho da Moodle como facilitador da criação de ambientes construtivistas da aprendizagem, que acelera a mudança de papel do professor, fazendo com que este se torne num mediador de saberes, um gestor da sua aprendizagem. Não obstante, os professores também associam a Moodle a trabalho, a falta de tempo. Muitos afirmaram que esta ferramenta torna muito morosa a preparação das aulas e exige do professor competências que este ainda não possui. Efectivamente, a formação dos professores para a Moodle passa pela preparação técnica dos mesmos para a utilização da plataforma, descurando bastante a componente pedagógica, o que faz com que a Moodle seja usada, essencialmente, como um repositório de conteúdos.
To unmask the significant universe with which teachers face the Moodle platform was the master idea that inspired the present work. In fact, when one thinks a particular reality, one tends to build a set of meanings around it, and, as time passes, these meanings get hardened. This was the idea that endorsed the study that we set. Therefore, our stimulus was to comprehend the representations that teachers, from 3rd cycle and high schools, build around the work with the virtual learning platform Moodle. To carry out this work, a questionnaire was applied to a convenience sample, constituted by teachers of the 3rd cycle and high schools, belonging to the districts of Guarda and Castelo Branco, active users of the Moodle platform. Our belief is that these are the education cycles that evidence to be decisive to students, since they embody a moment of transition. Furthermore, during these education cycles there is a higher incidence of teachers who use Moodle. Furthermore, six interviews were also carried out involving teacher trainers, who are also teachers, and that coach teachers to use the platform. These interviews allowed us to get additional data, which served as a complement to the data collected from the questionnaires’ analysis. From a total of 366 questionnaires, 225 valid cases were obtained, i.e., representing teachers that are users of the Moodle platform and whose age range is situated between 41 to 50 years old (41%), followed closely by the interval of 31 to 40 years old (38%). The average age of the respondents is situated in 41 years old. In terms of gender, 63% of respondents were female and 37% male. The results showed there is a mostly positive attitude towards the work with Moodle, which is measured to be a tool with high interactivity, stimulating, motivating, that sponsors the improvement of students’ achievement, encouraging them to become more active, more autonomous. Moodle is seen by many teachers as a tool with great pedagogical potential, able to create an appealing environment for students, as is consistent with their motivations, because it uses a lot of new technologies, which tends to please students. Teachers tend to represent the work with Moodle as an enabler of the creation of constructivist learning environments, which hastens the change of the teachers’ role, forcing them to become knowledge mediators, managers of the students’ learning. Nevertheless, teachers also associate Moodle’s work with lack of time. Many said that this tool makes classes preparation very time-consuming and requires skills that teachers do not have. Teachers are taught to use Moodle’s tools, so they miss the pedagogic component. Therefore, Moodle is predominantly used as content’ repository.
Descrição: Dissertação de Mestrado em Pedagogia do E-Learning apresentada à Universidade Aberta
URI: http://hdl.handle.net/10400.2/1883
Aparece nas colecções:Mestrado em Pedagogia do E-Learning / Master's Degree in Elearning Pedagogy - TMPEL

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Dissertacao_Patricia_Farias.pdf3,78 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.