Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.2/1352
Título: A problemática da cidade no universo poético-narrativo de Georges Rodenbach (1955-1898)
Autor: Ribeiro, Isabel Teixeira
Orientador: Coelho, Paula Mendes
Palavras-chave: Rodenbach, Georges, 1855-1898
Literatura belga
Século XIX
Língua francesa
Cidade
Flandres
Data de Defesa: 2008
Citação: Ribeiro, Isabel Teixeira - A problemática da cidade no universo poético-narrativo de Georges Rodenbach (1955-1898) [Em linha]. [Lisboa] : [s.n.], 2008. 124 p.
Resumo: Este projecto insere-se no âmbito do primeiro Mestrado em Estudos Francófonos leccionado em Portugal pela Universidade Aberta e propõe-se investigar um poeta primordial para as letras francesas da Bélgica e para as letras de expressão francesa, em geral, no que respeita ao movimento simbolista. Este autor foi dado a conhecer no Seminário de Literatura Francófona II, orientado pela Professora Doutora Paula Mendes Coelho, tendo suscitado um grande interesse e curiosidade. Considerado como o mais parisiense dos belgas da sua época e um dos membros mais originais e autónomos do simbolismo belga, Georges Rodenbach ainda é muito pouco conhecido no nosso país, apesar de ser um autor com uma obra muito multifacetada, em virtude de ter trabalhado diferentes géneros, tanto literários, como jornalísticos: poesia (Ex. La Jeunesse Blanche, 1886), romance (Ex. Bruges-la-Morte, 1892), teatro (Ex. Le voile, 1894), conto (Ex. Musée de Béguines, 1894), crónicas e crítica literária, como por exemplo, no jornal Le Figaro, e de ter apresentado uma moderna e inovadora poética de correspondências a partir das quais reproduz as impressões mais sensíveis da (sua) vida interior, partindo do universo (citadino) exterior para uma procura incessante da identidade pessoal / colectiva. Rodenbach centra-se num espaço psicológico circunscrito à memória de um tempo passado na pátria-mãe: a Flandres. Deambulando imaginariamente, capta na paisagem, nas fachadas, nas ruas, nos canais, a nostalgia típica das cidades do norte e, com os seus sentidos despertos, apodera-se da «alma das coisas». Conhecido o fascínio deste poeta pela cidade, enquanto sinónimo de vida e de morte, é precisamente a problemática da cidade no universo poético-narrativo deste autor flamengo do século XIX de língua e cultura francesas que esta dissertação pretende questionar. Esta temática está sempre presente na sua obra; seja, através dos elementos materiais: torres, muros, cais, sinos, «pignons», cortinas de renda; seja, através das reminiscências distantes dos domingos tristes de Inverno ou do tocar melancólico dos sinos, quebrando o silêncio soturno das praças e das ruas desabitadas e penumbráticas. O trabalho em questão tenciona demonstrar que a arquitectura e o espírito das cidades flamengas condicionam / inquietam o discurso de Georges Rodenbach, ao ponto dos elementos humanos se (con)fundirem com o espaço envolvente e vice-versa.
Descrição: Dissertação de Mestrado em Estudos Francófonos apresentada à Universidade Aberta
URI: http://hdl.handle.net/10400.2/1352
Aparece nas colecções:Mestrado em Estudos Francófonos / Master's Degree in Francophone Studies - TMEF

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
MEF.pdf1,33 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.