Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.2/1346
Título: Feminismos em Portugal (1927-2007)
Autor: Tavares, Maria Manuela Paiva Fernandes
Orientador: Cova, Anne
Torres, Anália Cardoso
Palavras-chave: História de Portugal
Século XX
Mulheres
Feminismo
Movimento de libertação das mulheres
Discriminação sexual
Estado Novo
Fascismo
Revolução
Democracia
Política
Legislação
Data de Defesa: 2008
Citação: Tavares, Maria Manuela Paiva Fernandes - Feminismos em Portugal (1947-2007) [Em linha]. [Lisboa] : [s.n.], 2008. 2 vol.
Resumo: Esta tese procura traçar os percursos dos feminismos em Portugal em meio século de história. Objectivo ambicioso, num país onde a memória histórica dos feminismos da primeira metade do século XX se esfumou, por influência do regime ditatorial do Estado Novo, com uma ideologia de submissão das mulheres e pelo pensamento dogmático das esquerdas políticas, que não souberam captar a dimensão plural dos feminismos e as contradições de género na sociedade. Sendo a capacidade de interrogação uma das características das teorias feministas, este trabalho, dá visibilidade aos feminismos como corrente plural de pensamento e acção, mas mostra também as suas fragilidades, os períodos de latência e de “erupção”, no dizer da historiadora Karen Offen (OFFEN, 2008: 39). São, ainda, lançadas pistas para uma reconfiguração das correntes feministas, tendo em consideração o contexto de diferentes vivências das mulheres no país e num mundo globalizado. Este trabalho valoriza a militância corajosa das mulheres na luta antifascista, sem deixar de relevar a falta de questionamento da subordinação das mulheres fora do campo dos direitos políticos. A falta de entrelaçamento das questões democráticas e de classe com as de género foi uma das causas da diluição do feminismo no antifascismo. Apesar das transformações democráticas do país após Abril de 1974 e da grande participação das mulheres, a palavra “feminismo” permaneceu fora da linguagem política e a despenalização do aborto só conseguiu ser alcançada no novo milénio. Este estudo analisa estes percursos e as suas contradições, mostrando que a grande evolução no estatuto das mulheres portuguesas nas últimas três décadas não esgota as razões para uma agenda feminista, ampla e exigente, no respeito por um sujeito feminista plural, que tenha em consideração as diferenças entre as mulheres, em termos de etnia, classe social, região de pertença, orientação sexual, religião e idade.
This thesis aims to draw the routes of feminisms in Portugal in the last sixty years of history. A rather ambitious purpose in a country where historical memory of feminisms in the first half of the XX century is blurred either because of the dictator regime of the Estado Novo with the ideology of women’s submission or the dogmatic thought of the political left wing parties that could not understand the plural dimension of the feminisms and the gender contradictions in society. Since the capacity to questioning is one of the characteristics of the feminist theories, this study gives visibility to feminisms as a plural current of thought and action, and it also shows its weakness, its latency and eruption periods, according to Karen Offen (OFFEN, 2008:39). Furthermore, ways are open to reconfigurating the feminist theories, taking into consideration the context of women’s different ways of living in the country and in a global world This work values the courageous militancy of women during the fascist period, but doesn’t omit the lack of questioning the subordination of women beyond the range of their political rights. One of the reasons why feminism was “diluted” with antifascism was the fact that democratic and class issues were not mingled with gender issues. Despite the democratic changes of the country in April 1974 and the strong participation of women, the word “feminism” remained out of the political language and the depenalisation of abortion could only be achieved in the new millennium. This study analyses these routes and their contradictions and shows that the great evolution in the status of Portuguese women in the last three decades does not exhaust the reasons for a wide and demanding feminist agenda respecting a plural feminist subject where the differences in women are taken into consideration, i. e. ethnic, social class, region, sexual orientation, religion or age.
Descrição: Tese de Doutoramento em Estudos sobre as Mulheres na especialidade de História das Mulheres e do Género apresentada à Universidade Aberta
URI: http://hdl.handle.net/10400.2/1346
Aparece nas colecções:História das Mulheres e do Género / Women and Gender History

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Tese de doutoramento Manuela TavaresVF.pdf3,76 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.