Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.2/1334
Título: A formação profissional das mulheres no ensino industrial público (1884-1910) : realidades e representações
Autor: Pinto, Maria Teresa Valente
Orientador: Cova, Anne
Vaquinhas, Irene
Palavras-chave: História de Portugal
Emprego das mulheres
Educação das mulheres
Ensino profissional
Formação profissional
Mulheres
Género
Século XIX
Século XX
Data de Defesa: 2008
Citação: Pinto, Maria Teresa Valente - A formação profissional das mulheres no ensino industrial público (1884-1910) [Em linha] : realidades e representações. [Lisboa] : [s.n.], 2008. XVI, 798 p.
Resumo: Este trabalho procura problematizar o papel reprodutor e produtor das escolas públicas de ensino industrial na construção e afirmação da sociedade burguesa e das concepções de homem ganha-pão e da mulher dona-de-casa em finais do século XIX e inícios do século XX. A problemática que conformou a presente investigação constituiu-se na intersecção de três interrogações de fundo. Em primeiro lugar, como interpretar a frequência feminina das escolas industriais públicas oitocentistas e respectivas oficinas, independentemente da localização geográfica, desde a sua fundação, em 1884? Em segundo lugar, qual o grau de congruência entre as representações discursivas sobre as mulheres e a realidade da sua situação face ao trabalho na sociedade portuguesa oitocentista? Como se relacionavam as modalidades e finalidades de formação profissional para o sexo feminino propostas no quadro institucional oitocentista com as representações sobre o trabalho das mulheres presentes nos discursos coevos? Em terceiro lugar, como se coadunou a oferta de ensino industrial para o sexo feminino a uma representação social das mulheres que as dissociava, cada vez mais, da noção de trabalho produtivo e profissional? Que tipo de representações sobre a relação das mulheres com a(s) actividade(s) profissional(ais) são veiculadas pelos discursos políticos, normativos e técnicos sobre o ensino industrial? Em que medida é que este tipo de oferta formativa por parte do Estado influenciou, de forma directa ou simbólica, o reposicionamento socioprofissional das mulheres que o frequentaram? O estudo analisa, na perspectiva da história das mulheres, entendida como história relacional, isto é, uma história das relações sociais entre mulheres e homens, a formação profissional feminina no quadro do ensino industrial público em Portugal, desde a criação das primeiras escolas, em 1884, até à implantação da 1ª República, na dupla perspectiva das realidades e das representações. Estes vinte e sete anos correspondem à concretização possível do projecto da monarquia constitucional relativo ao incremento de um ensino industrial e profissionalizante.
Descrição: Tese de Doutoramento em Estudos sobre as Mulheres na especialidade de História das Mulheres e do Género apresentada à Universidade Aberta
URI: http://hdl.handle.net/10400.2/1334
Aparece nas colecções:História das Mulheres e do Género / Women and Gender History

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Maria Pinto.pdf12,6 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.